Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Venda da Herdade do Vale Feitoso chumbada pelo Ministério Público

A propriedade, comprada em 2004 pelo GES, já foi várias vezes “à praça”, sem sucesso. Propostas baixas acabaram chumbadas pelo MP.

Idanha a Nova (fotografia meramente ilustrativa) / Wikimedia Commons: Vitor Oliveira/ CC-BY-SA-2.0
Idanha a Nova (fotografia meramente ilustrativa) / Wikimedia Commons: Vitor Oliveira/ CC-BY-SA-2.0
Autor: Redação

Depois de várias tentativas de venda, sem sucesso, a Herdade do Vale Feitoso, localizada no concelho de Idanha a Nova, continua à procura de novo dono. Aquela que é a maior propriedade privada muralhada de Portugal, comprada em 2004 pelo Grupo Espírito Santo (GES), recebeu várias propostas, mas as ofertas, muito baixas, acabaram chumbadas pelo Ministério Público (MP).

A propriedade está ao abandono desde 2017. O Novo Banco, que executou a hipoteca, começou por pedir 36,4 milhões pelos 7.300 hectares, mas essa primeira tentativa, em 2018, teve apenas um interessado que acabou por não apresentar proposta. Depois, e já em janeiro de 2019, uma nova tentativa, desta vez por 32,7 milhões de euros. Em 2020, uma terceira, por 32 milhões, e já início deste ano uma quarta, com um preço base de 24 milhões.

Ao que tudo indica, e segundo a notícia avançado pelo Jornal de Negócios, neste último procedimento foram recebidas três propostas, todas abaixo deste valor. A mais alta, de origem espanhola, chegou a fixar-se nos 17,8 milhões, mas o MP e o Novo Banco recusaram.