Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Novo Banco

Últimas notícias sobre "Novo Banco" publicadas em idealista.pt/news

Novo Banco vende mais de 1.700 milhões de euros em imóveis em quatro anos

O Novo Banco tinha uma carteira imobiliária no valor de 2.670 milhões de euros, em termos líquidos, em dezembro de 2016, mas libertou-se de cerca de 1.700 milhões de euros entretanto, ou seja, até final de 2020, período durante o qual implementou um plano de reestruturação, imposto pelas autoridades europeias. 

Notícia sobre:

Venda da Herdade do Vale Feitoso chumbada pelo Ministério Público

Depois de várias tentativas de venda, sem sucesso, a Herdade do Vale Feitoso, localizada no concelho de Idanha a Nova, continua à procura de novo dono. Aquela que é a maior propriedade privada muralhada de Portugal, comprada em 2004 pelo Grupo Espírito Santo (GES), recebeu várias propostas, mas as ofertas, muito baixas, acabaram chumbadas pelo Ministério Público (MP).

Notícia sobre:

Novo Banco: carteira de malparado vendida avaliada (afinal) em 35 milhões

O Novo Banco já veio esclarecer que a carteira de crédito malparado que vendeu estava avaliada nas contas da instituição (afinal) em 35 milhões de euros. “O Novo Banco esclarece que a carteira de crédito malparado (NPL) está avaliada nas contas do banco por cerca de 35 milhões de euros, valor marginalmente inferior aos 37 milhões de euros da venda reportados ao mercado, com o respetivo impacto positivo nos resultados e no capital”, adiantou fonte oficial do Novo Banco à Lusa.

Notícia sobre:

BCP prepara venda de crédito malparado ao fundo que comprou o “Nata 2” ao Novo Banco

O BCP estará prestes a fechar negócio com o fundo Davidson Kempner - que comprou o “Nata 2” ao Novo Banco – para a venda de uma carteira de crédito malparado, designada “Projeto Ellis”, avaliada em 170 milhões de euros. Em cima da mesa está também a venda do “Projeto Webb”, uma carteira mais granular e cujo valor inicial era de 450 milhões de euros, à Arrow.

Notícia sobre:

Novo Banco vende carteira de crédito mal parado por 37 milhões

O Novo Banco vendeu uma carteira de crédito malparado por 37 milhões de euros, que tem um valor bruto de 79 milhões. Ainda assim, a instituição liderada por António Ramalho diz que o negócio teve um impacto direto "marginalmente positivo" nos resultados e no capital.

Notícia sobre:

M7 e private equity internacional investem 41 milhões em Portugal – Novo Banco financia metade

Chama-se Portuguese Industrial Fund (PIF) e é uma nova ‘joint venture’ que “aterrou” em Portugal pela mão da M7 Real Estate (M7), um investidor pan-europeu e gestor de ativos imobiliários, e de uma “reconhecida private equity internacional”, que não é identificada no comunicado publicado no site da M7. Entra no mercado nacional com a aquisição de dois portfólios no valor de 41 milhões de euros, tendo o Novo Banco disponibilizado cerca de metade desse montante.

Notícia sobre:

Douro Atlantic Garden nunca saiu do papel e terrenos estão agora à venda por 38,7 milhões

A estatal Estamo vendeu os 15 hectares da antiga Seca do Bacalhau, em Gaia, à empresa Dulivira por 28,1 milhões de euros. Isto em 2005. O contrato-promessa de compra e venda previa o direito de cedência da posição da Dulivira a um fundo imobiliário criado pelo Grupo Espírito Santo (GES), o Invesfundo III, que era gerido pela Gesfimo e obteve um financiamento inicial – do BES – de 55 milhões de euros. E para ali foi projetado o megaprojeto imobiliário Douro Atlantic Garden, que nunca saiu do papel e está agora à venda por 38,7 milhões de euros. Um terreno, de resto, que foi palco das últimas duas edições (2018 e 2019) do festival de música Marés Vivas.

Notícia sobre:

Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros de crédito malparado até final do ano

O Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em crédito malparado até ao final do ano, disse o presidente executivo do banco, António Ramalho, à agência de informação financeira Bloomberg. A maior parte destes créditos problemáticos fazem parte da carteira de ativos designada Nata III, que estava a ser preparada antes da crise desencadeada pela pandemia da Covid-19, tendo as vendas sido ajustadas.

Notícia sobre: