Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Aviso às empresas: um terço dos trabalhadores vai sofrer de síndrome pós-férias

Gtres
Gtres
Autor: Redação

A consultora de recursos humanos Adecco adverte que cerca de 30% dos empregados sofrem uma depressão após as férias na sua reincorporação e que parte dos restantes 70% vai sofrer quadros de fadiga ou stress. Um período de desconexão demasiado largo ou um mau ambiente de trabalho são os principais motivos.

Aproxima-se o temido mês de setembro. E não só porque se trata de um mês complicado para as finanças pessoais, porque também traz consigo o fim do verão e a volta à rotina pessoal e profissional.

O estudo da Adecco recorda que a chamada depressão pós-férias consiste numa sensação de falta de energia e motivação que provoca apatia e às vezes tristeza nos trabalhadores. "Trata-se de uma ruptura no processo de adaptação ou transição entre o período de lazer e descanso e a volta à rotina laboral", aponta.

"É mais provável que padeçam deste síndrome os trabalhadores que têm a oportunidade de realizar grandes períodos de férias do que aqueles cujas férias estão divididas ao longo do ano. Um hábito precisa de 21 dias para implementar-se e um mês de férias é mais do que suficiente para uma pessoa se acostumar aos novos hábitos de vida", explica Nekane Rodríguez de Galarza, diretora de Lee Hecht Harrison, empresa especializada em coaching do Grupo Adecco.

A especialista acrescenta que "os ambientes de negatividade no trabalho, em que se realizam tarefas repetitivas ou em que os chefes são pouco motivadores, costumam provocar uma maior sensação de desânimo no regresso das férias. Por isso, aqueles que voltam a um ambiente laboral hostil, os que têm de lidar com um chefe incompetente ou que não os valora,, e que já não estão motivados pelo seu trabalho, têm altas probabilidades de contrair este síndrome".

E como evitá-lo? Segundo o estudo da consultora, o mais importante é fazer com que a transição entre as férias e o trabalho seja a mais suave possível. Além do mais, assegura que algumas das medidas mais efetivas são voltar do sítio de férias com antecedência à data de reincorporação, levantar-se cedo uns dias antes para retomar o ritmo, repartir as férias ao longo do verão para evitar implementar novos hábitos de vida nesse período e interpretar de forma positiva a volta à rotina.

Etiquetas
Trabalho