Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

rumores

Autor: Redação

presidente do bce diz que “o pior da crise já passou”: o pior da crise da zona euro já está ultrapassado, segundo o presidente do banco central europeu (bce), numa entrevista publicada esta quinta-feira pelo diário alemão “bild”. “o pior já passou, mas continua a haver riscos”, declarou mario draghi, salientando que a situação está a estabilizar-se e que os dados básicos da zona euro, “como a inflação e sobretudo os défices públicos, são melhores do que, por exemplo, nos estados unidos”. de acordo com o presidente do bce, a confiança dos investidores regressou e há várias semanas que aquela instituição não teve que voltar a intervir, adquirindo títulos da dívida soberana (agência financeira)

sistema financeiro brasileiro é estável e de baixo risco, diz fmi: uma visita conjunta do fundo monetário internacional (fmi) e do banco mundial ao brasil concluiu que o sistema financeiro do país é estável e tem baixos níveis de risco sistémico, diz o comunicado do fmi.

a visita faz parte do programa de avaliação do sector financeiro e esteve em curso desde 6 de março. representantes das duas instituições reuniram-se com o presidente do banco central brasileiro, alexandre tombini, com o ministro da fazenda, guido mantega, com dirigentes de agências do sector regulador e com representantes do mercado (jornal de negócios)

internet será a quinta potência económica mundial em 2012: se a internet fosse um país, em 2016 seria a quinta maior potência do mundo, apenas ultrapassada pelos estados unidos, china, japão e índia, mas, curiosamente, à frente do gigante alemão. os dados são do reputado boston consulting group (bcg), que estima que, em quatro anos, haverá 3 mil milhões de utilizadores em todo o mundo, contra os 'modestos' 1,9 mil milhões atuais. a economia da internet deve representar 4,2 mil milhões de dólares nos países do g-20, contra 2,3 mil milhões em 2010, segundo o bcg. e, em 2012, a atividade económica gerada através da rede deverá representar 5,3% do produto interno bruto agregado do g-20 (expresso)

Artigo visto em
(idealista news)