Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ajustes diretos representam 83% dos contratos de obras públicas em março

Autor: Redação

O ajuste direto foi o procedimento escolhido em 83% dos contratos públicos de aquisição de bens e serviços e empreitadas de obras públicas publicados em março, segundo a Síntese Mensal da Contratação Pública. As estatísticas do Instituto dos Mercados Públicos do Imobiliário e da Construção (IMPIC) concluem que em 12.604 contratos públicos, no valor de 618 milhões de euros, o ajuste direto foi a opção escolhida em 10.420 contratos, avaliados em 271 milhões de euros.

No mês em causa, dos 12.604 contratos públicos foram a concurso público 1.035, no valor de 230 milhões de euros, enquanto o procedimento Acordo-Quadro teve 1.124 contratos, no valor de 85 milhões de euros. Já o concurso limitado prévia qualificação registou 25 contratos, no valor de 32 milhões de euros.

IMPIC
IMPIC

No que diz respeito ao número de anúncios publicados no Diário da República, “em março de 2017 foram publicados mais 563 anúncios que em março de 2016, o que representou um acréscimo de 76%”. “Março de 2017 foi o mês em que se registou o mais elevado número de anúncios publicados (1.301) desde janeiro de 2014. Em março de 2017 foram reportados ao portal BASE mais 2.947 contratos que no mês anterior. Constatou-se, assim, nos contratos publicados um acréscimo tanto em número de contratos (31%) como em termos da despesa contratada em 168 milhões de euros (37%)”, lê-se no documento.