Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Baixa de Lisboa: carros anteriores a 2005 proibidos de circular a partir de 2021

A baixa de Lisboa vai sofrer vários condicionamentos de trânsito. Em causa está a criação de uma Zona de Emissões Reduzidas (ZER).

Photo by Luca Dugaro on Unsplash
Photo by Luca Dugaro on Unsplash
Autor: Redação

A baixa de Lisboa vai sofrer vários condicionamentos de trânsito, já a partir de agosto. A proibição da circulação automóvel, numa primeira fase, vai começar por aplicar-se a todas as viaturas anteriores a 2000. Numa segunda fase, em abril de 2021, a Câmara Municipal de Lisboa (CML) vai alargar a proibição aos veículos anteriores a 2005.

A intenção da câmara consta do relatório que prevê a criação da nova Zona de Emissões Reduzidas Avenida Baixa Chiado (ZER ABC), segundo a notícia avançada pelo Público. A partir do verão, passará a ser autorizada apenas a circulação de automóveis que cumpram a norma Euro 3, ou seja, com matrícula posterior a 2000. Depois, e já em abril de 2021, a circulação só será permitida aos veículos que cumpram a norma Euro 4, com matrícula posterior a 2005. Segundo o documento, os residentes ficam excluídos dessa nova regra, desde que os seus veículos tenham matrícula posterior a 2000.

Atualmente, já é proibido circular nesta zona da cidade com viaturas anteriores ao ano de 2002, mas a publicação recorda que a fiscalização é escassa. Segundo uma fonte da autarquia, em declarações jornal, as contra-ordenações foram três a quatro vezes superiores em 2019 do que em anos anteriores, mas a nova ZER prevê a instalação de sistemas eletrónicos de controlo, o que deverá significar um aumento da eficácia na fiscalização.

Mas afinal, o que é o ZER ABC? “É uma Zona de Emissões Reduzidas onde circulam apenas veículos autorizados. A ZER vai permitir criar melhores condições de circulação e estacionamento para residentes, reduzir o tráfego de atravessamento, melhorar o espaço público na zona histórica da cidade e promover o comércio local”, segundo o site que explica o funcionamento da iniciativa.

O idealista/news preparou um guia explicativo com tudo o que vai mudar, e pode ser consultado aqui.

Restrições de trânsito conduzem a “novas oportunidades para o comércio”

O plano da CML foi pode, por outro lado, traduzir-se em mais negócio imobiliário. “Estas medidas vêm permitir um olhar renovado sobre o centro da cidade, trazendo novas oportunidades para o comércio de rua em Lisboa. Artérias até aqui pouco posicionadas junto dos operadores do retalho, como a Rua da Prata, na baixa da cidade, ganham novo dinamismo, tornando-se potenciais vias de interesse para investidores e proprietários”, argumenta Carlos Récio, senior director A&T retail da CBRE, citado em comunicado.

A reabilitação de edifícios irá continuar a proporcionar novas aberturas de lojas nos centros históricos, de acordo com a consultora imobiliária.