Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mota-Engil encaixa quase 104 milhões de euros com aumento de capital

A operação foi montada para permitir a entrada da CCCC no capital da construtora portuguesa. O grupo chinês fica com 32,41% da Mota-Engil.

Photo by Mark Potterton on Unsplash
Photo by Mark Potterton on Unsplash
Autor: Redação

A Mota-Engil conclui o aumento de capital num montante de cerca de 69,3 milhões de euros, abaixo dos 100 milhões previstos como montante máximo da operação. O encaixe financeiro da operação cifrou-se em quase 104 milhões de euros. A operação foi montada para permitir a entrada da chinesa China Communications Construction Company (CCCC) no capital da empresa de origem portuguesa. O grupo chinês fica com 32,41% da Mota-Engil.

O aumento de capital da Mota-Engil, concluído na semana passada, incluía a emissão de até 100 milhões de novas ações com valor nominal de um euro, a que se somou um ágio de 0,50 euros por cada nova ação, com subscrição reservada a acionistas.

A CCCC estabeleceu um acordo para comprar 55 milhões de ações (23% do capital atual) da construtora portuguesa à MGP - Mota Gestão e Participações, por 169,4 milhões de euros. O negócio pressupunha um preço por ação de 3,08 euros e implicava também a cedência por parte da família Mota dos direitos de subscrição necessários para a CCCC comprar 44,4 milhões de ações no aumento de capital.

Já a família Mota comprometeu-se a aplicar neste aumento de capital parte do encaixe com a venda aos chineses. Vai exercer os restantes direitos com que fica em carteira para subscrever 22,6 milhões de novas ações, investindo perto de 34 milhões de euros.

“[…] A procura total registada no presente aumento de capital ascendeu a 69.270.809 novas ações, que correspondem a um encaixe financeiro de cerca de 103.906.213,50 euros, tendo ficado a subscrição incompleta e, consequentemente, o aumento de capital limitado às subscrições válidas recolhidas”, lê-se no comunicado remetido à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Por sua vez, os pedidos suplementares de novas ações sujeitos a rateio ascenderam a 128.451 títulos, ou seja, 0,4% do que estava disponível.

O capital social da construtura vai passar assim de 237.505.141 euros para 306.775.950 euros.

“[…] A Mota-Engil requereu à Euronext Lisbon – sociedade gestora de mercados regulamentados, S.A., a admissão da totalidade das ações objeto do presente aumento de capital à negociação no mercado regulamentado Euronext Lisbon, prevendo-se que a mesma ocorra no dia 31 de maio de 2021 ou em data aproximada, após o registo comercial do aumento de capital junto da Conservatória do Registo Comercial”, acrescentou.

*Com Lusa