Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Entrada dos chineses da CCCC no capital da Mota-Engil aprovada por Bruxelas

Entrada da China Communications Construction Company (CCCC) no capital da Mota-Engil teve a aceitação por parte de mais um regulador.

Autor: Redação

A Direção-geral da Concorrência da União Europeia (UE) não vê obstáculos à compra de 30% do capital da Mota-Engil pelos chineses da China Communications Construction Company (CCCC). Além do regulador europeu, as autoridades brasileiras também já deram luz verde à operação, segundo o relatório e contas de 2020 da construtora portuguesa.

A notícia é avançada pelo Expresso, que escreve, no entanto, que o processo ainda está a ser acompanhado em Portugal pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e por vários reguladores nos vários países da Europa, América Latina e África, onde o grupo português liderado por António Mota desenvolve atividade.

A operação em causa prevê a compra direta à família Mota de 23% do capital ao preço de 3,08 euros por ação, cerca do dobro da cotação atual. Segue-se um aumento de capital de 100 milhões de ações ao preço de 1,5 euros.

“Feitas as contas”, a família Mota, que acompanha o aumento de capital, baixará a sua participação de 65% para 40% enquanto a CCCC ficará com 30,01%, escreve a publicação, salientando que a operação de emissão de 100 milhões de ações já foi aprovada pela Assembleia-Geral de acionistas e deverá ocorrer em meados de maio.