Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Chamartin e ING vendem Dolce Vita Tejo à Eurofund por 70 milhões

Autores: Tânia Ferreira, pmartinez-almeida

A Chamartín, juntamente com o ING, desprendeu-se da sua joia da coroa, o maior centro comercial de Portugal, o Dolce Vita Tejo, por cerca de 70 milhões de euros. O comprador é o fundo de investimento britânico Eurofund que planeia ampliar o complexo comercial, permitindo assim criar cerca de 1.000 postos de trabalho. A gestão do centro fica nas mãos da Pragma.

A imobiliária espanhola era dona de 50% e o banco ING da outra metade e ambos venderam agora as suas partes à Eurofund Investments, segundo fontes próximas à operação, consultadas pelo idealista News.

O negócio foi fechado à volta dos 70 milhões de euros, segundo noticia o Expresso, adiantando ainda que esta venda vai permitir à Chamartin reduzir grande parte da sua avultada dívida.

Agora, a Eurofund Investiments é a nova proprietária do centro comercial, mas a gestão fica nas mãos da companhia Pragma, como explicam fontes próximas. os novos acionistas planeiam ampliar o centro comercial e assim criar 1.000 postos de trabalho mais além dos atuais 3.000.

Com esta transação, a imobiliária espanhola - que comprou a antiga Amorim Imobiliário - consegue finalmente fechar a venda do Dolce Vita Tejo uma venda que levava anos a tentar conseguir concretizar. 

Aliás, o presidente da Chamartin, em entrevista ao jornal espanhol El Confidencial, admitia em tempos que estava disposto a alienar este ativo, mas nunca tinha conseguido por questões de preço. Houve várias ofertas, mas sempre de baixo valor para o que Carlos Cutillas pretendia encaixar.

A Eurofund Investments planeia, segundo o semanário, ampliar o centro comercial e assim criar 1.000 postos de trabalho mais além dos atuais 3.000.

O Dolce Vita Tejo, com uma área de 122.000 m2, está localizado a cerca de 10 km do centro de Lisboa, a norte do concelho da Amadora.