Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Imobiliária de Luís Filipe Vieira deixa Novo Banco "a arder" em 54 milhões

SL Benfica
SL Benfica
Autor: Redação

A Imosteps, promotora imobiliária da qual o presidente do Benfica é acionista, tem uma dívida de 54,3 milhões de euros ao Novo Banco. A sociedade participada por Luís Filipe Vieira integra a lista de 60 grandes dívidas de empresas que a instituição financeira - que resultou do antigo BES - está a vender a fundos de investimento internacionais, numa operação que globalmente gerará 100 milhões em perdas adicionais para o banco.

De acordo com a Sábado, que revela a notícia, desconhecem-se os negócios e ativos que tem a holding de Luís Filipe Vieira ligada aos setores da construção e do imobiliário que gere participações noutras companhias. A maior parte dos ativos tóxicos eram do Grupo Espírito Santo (GES), cujo líder Ricardo Salgado era próximo do presidente do Benfica.

A Imosteps, que conta ainda com o filho do presidente do Conselho de Administração, Tiago Vieira, e outros dois sócios José Pereira Gouveia e Almerindo de Sousa Duarte, não foi incluída no plano de reestruturação do presidente do Benfica com o Novo Banco, em 2014, porque esta dívida não foi criada por negócios seus.

"Foi parar à sua esfera por causa de um acordo de cavalheiros com Ricardo Salgado – o buraco era originalmente do Grupo Espírito Santo", segundo escreve a revista semanal.

Desde 2015, as holdings têm registado prejuízos, que conduziram a dívidas por parte da acionista Imosteps.

Situações como a da empresa de Luís Filipe Vieira, sublinha a Sábado, indiciam responsabilidades que estão a ser transferidas para o Fundo de Resolução.

A revista acrescenta ainda outros nomes à lista de empresários que têm dívidas no Novo Banco, alguns deles com fortes ligações ao antigo líder do BES, como Manuel Matos Gil, João Gama Leão, Bernardo Moniz da Maia, António Câmara e Paulo Branco.