Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Edifício das Finanças no Parque das Nações tem novo senhorio

ZAP Notícias - Aeiou
ZAP Notícias - Aeiou
Autor: Redação

O Fundo Imosocial - gerido pela Selecta, empresa liderada por José António de Mello - acaba de vender o edifício ExpoFinanças, no Parque das Nações (Lisboa) a um investidor institucional internacional não identificado, representado pela FS Capital, por valor não revelado. O imóvel tinha sido comprado pelos agora vendedores em 2009, por 25 milhões de euros ao fundo de investimento imobiliário Fundimo, do grupo Caixa Geral de Depósitos.

O edifício ExpoFinanças, no Parque das Nações, foi vendido pelo fundo Imosocial a um investidor institucional internacional não identificado, representado pela FS Capital, indicou esta quarta-feira a JLL, que representou o vendedor na operação. O edifício alberga a sede da Direcção Distrital de Finanças de Lisboa. O contrato de arrendamento que vigorava na altura com o Ministério das Finanças tinha a duração de 15 anos, sendo renovável. 

A transacção do imóvel de cinco pisos, distribuídos por 11.453 metros quadrados (m²) de área construída, foi comunicada pela JLL, que representou o vendedor na operação. O edifício alberga a sede da Direção Distrital de Finanças de Lisboa e o contrato de arrendamento que vigorava, quando antes tinha mudado de mãos, com o Ministério das Finanças tinha a duração de 15 anos, sendo renovável. 

Torre Zen vendida à Merlin por 33,3 milhões de euros

A JLL anunciou ainda a venda da Torre Zen, também no Parque das Nações, à Merlin Properties, empresa espanhola controlada pelo banco Santander. Este negócio, no valor de 33,3 milhões de euros, tinha sido dado a conhecer pela sociedade liderada por Ismael Clemente, em abril passado.

Este edifício soma uma área bruta locável de 10.515 m² distribuída por 14 pisos, aos quais se somam cinco pisos subterrâneos com 331 lugares de estacionamento, tendo como inquilinos a Danone, a Padaria Portuguesa, a Upstar Comunicações e a Avigilon, entre outros.

Na semana passada, a Merlin voltou às compras no mercado português, tendo adquirido o Almada Forum por 407 milhões de euros. A empresa espanhola detém seis edifícios de escritórios na capital portuguesa, com uma área total de 70.000 m², pretendendo duplicar este valor e assumir a liderança do mercado de escritórios em Lisboa. 

"Estas transações comprovam o apetite de investidores nacionais e internacionais por ativos de escritórios na zona do Parque das Nações", sublinha Fernando Ferreira, diretor de Capital Markets da JLL, citado em comunicado. 

O responsável antecipa que "esta dinâmica irá manter-se ao longo do ano, com outros ativos a virem para o mercado no segundo semestre".