Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Como será o local de trabalho em 2030? E as novas profissões e competências?

Haverá "lugares para trabalhar”, isto é, diferentes áreas tranquilas, saudáveis e personalizadas, eliminando completamente os lugares fixos ou atribuídos.

Adecco
Adecco
Autor: Redação

O local de trabalho em 2030 será bem diferente daquele que conhecemos hoje. Haverá "lugares para trabalhar”, isto é, diferentes áreas tranquilas, saudáveis e personalizadas para que os empregados tenham opções sobre onde querem trabalhar, eliminando completamente os lugares fixos ou atribuídos, segundo uma análise feita pela Adecco, empresa líder em recursos humanos e outsourcing. Mas também vão surgir novas profissões, e algumas competências serão mais procuradas que outras (e mais bem pagas, claro).

Segundo estudos independentes publicados pela CBRE e pelo Génesis, e um relatório no WSJ, citados pela Adecco, dentro de 10 anos haverá mais empresas individuais e mais pequenas. Reflexo disso, diz, “haverá também menos hierarquia” e “todos serão um líder”. “O trabalho florescerá em equipas, não com ditadores e haverá uma grande ênfase no bem-estar. Os escritórios serão ambientes muito mais saudáveis, com boa iluminação, áreas de relaxamento, quartos, música, animais de estimação, etc”, explica a empresa de recursos humanos.

Prevê-se, por isso, que nesse contexto, surgirá a necessidade de um papel de "chefe de trabalho". “O líder irá estabelecer a cultura na organização. Este papel poderia também estar entre os melhores empregos para o futuro.

E quando os trabalhadores chegarem ao seu edifício de escritórios, os dispositivos portáteis indicarão para que piso ir, algo que pode mudar com base nos dados dos sensores. Não haverá secretárias ou balcões físicos, os colaboradores simplesmente estacionarão em qualquer lugar e terão um escritório simulado à sua frente, refere a Adecco. Neste futuro prevê-se ainda que os assistentes sejam robóticos.

“Todos os trabalhadores a todos os níveis utilizarão no futuro assistentes robóticos, como Siri ou Alexa, para classificar os e-mails recebidos, agendar reuniões, criar folhas de cálculo. Também o brainstorming será mais inteligente. A maioria das reuniões será realizada entre diferentes grupos de trabalhadores em múltiplos locais, permitindo uma troca fluida de ideias e brainstorming em diferentes fusos horários. As reuniões informais poderão ser realizadas através de realidade virtual e aumentada”, explica ainda.  

Competências mais procuradas em futuras funções de trabalho

O relatório de investigação do McKinsey Global Institute, também citado pela empresa de recursos humanos, destacou os três principais conjuntos de competências de que os trabalhadores necessitarão para assegurar as melhores carreiras no futuro:

  • Competência cognitiva superior. Incluem literacia e escrita avançadas, pensamento crítico e análise quantitativa, e competências estatísticas. São utilizados por médicos, contabilistas, analistas de pesquisa e escritores.
  • Competência social e emocional. Incluem comunicação avançada, empatia, adaptabilidade e a capacidade de aprender continuamente. O desenvolvimento empresarial, a programação e o aconselhamento requerem estas competências. Estes empregos estão também entre as melhores carreiras para os próximos dez anos.
  • Competência para tecnologia. Esta secção inclui tudo, desde competências informáticas básicas a avançadas, análise de dados e engenharia. É provável que estas competências futuras sejam as mais bem pagas.

Profissões em 2030

Ao analisar as principais tendências tecnológicas e empresariais atuais, e de acordo com a Cognizant e a ZDNet algumas das funções que irão emergir ao longo da próxima década são:

  • Guia de Loja Online. Concentrar-se-á na satisfação do cliente através de aconselhamento virtual utilizando o conhecimento do produto online.
  • Agente de Dados Pessoais. Assegurará que os consumidores recebam receitas a partir dos seus dados. O corretor estabelecerá os preços e executará as transações.
  • Assistente pessoal de memória. Baseado em contatos com pacientes e partes interessadas para gerar especificações para experiências de realidade virtual
  • Construtor de viagens de realidade aumentada. Colaborar com engenheiros talentosos e artistas técnicos para desenvolver elementos vitais para os clientes.
  • Highway Controller. Monitorizar sistemas automatizados de gestão rodoviária e do espaço aéreo para garantir que não ocorrem erros.
  • Criador de partes do corpo. Criar partes vivas do corpo para atletas e soldados.
  • Nano-médicos. Transformará os cuidados médicos.
  • Agricultor recombinante. Transformará a agricultura e a criação de animais.
  • Conselheiro de bem-estar para os mais velhos. Atenderá às necessidades físicas e mentais das pessoas idosas.
  • Cirurgião cerebral. Irá aumentar a memória dos pacientes quando atingirem a sua capacidade.
  • Éticos da 'nova ciência'.
  • Pilotos espaciais, guias turísticos e arquitetos. Proporcionarão a vida em postos avançados lunares.