Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casas de ex-ministro Manuel Pinho investigadas pelo Ministério Público

Negócios suspeitos envolvem casa onde viveu Almeida Garrett / @Visão
Negócios suspeitos envolvem casa onde viveu Almeida Garrett / @Visão
Autor: Redação

O ex-ministro da Economia de José Sócrates está sob a mira da Justiça, Manuel Pinho, em várias frentes. Agora, o Ministério Público decidiu investigar a venda, em 2009, de dois apartamentos em Lisboa do antigo governante ao então Banco Espírito Santo (BES).

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), segundo noticia o Expresso, pediu ao Fungepi – Fundo de Gestão de Património Imobiliário do Novo Banco “toda a documentação original relativa à aquisição e posterior alienação de duas frações no prédio sito na Rua Saraiva de Carvalho, número 68, em Lisboa, incluindo informações, análises e propostas que suportaram tais negócios”.

O negócio, de acordo com o que conta o jornal, foi feito uma semana depois de Manuel Pinho se ter demitido do governo socialista de Sócrates.

Negócios feitos com edifício onde viveu Almeida Garrett

A revista Visão já tinha noticiado que, em julho de 2009, Pinho e a mulher venderam dois T4, através da empresa Pilar Jardim, ao Fungepi, por 1,5 milhões de euros. Cada imóvel, localizado no bairro de Campo de Ourique, estava avaliado na altura em 300 mil euros e, dois anos depois, o fundo do BES alienou as duas casas, perdendo dinheiro.

Estas duas frações fazem parte do edifício que Manuel Pinho comprou ao BES, por 800 mil euros, através da sociedade Pilar Jardim, criada em 2004.

Neste edifício viveu o escritor Almeida Garrett — Pinho demoliu-o e construiu um edifício com quatro apartamentos, tendo ficado com um deles e vendido outras duas frações ao Fungepi. Em junho de 2009, vendeu outro apartamento (T2), por meio milhão de euros, a Manuel Sebastião, que na altura era presidente da Autoridade da Concorrência.