Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

“A decoração de interiores ajuda a criar valor" nos imóveis

Pedro d’Orey, general manager da QuartoSala, em entrevista ao idealista/news.

QuartoSala
QuartoSala
Autor: Leonor Santos

A decoração de interiores “dá corpo” aos espaços e abre caminho à criatividade dentro de casa, como reflexo de estilos de vida, ideais e tendências. Mas também ajuda a fazer negócios, sendo uma "arma" cada vez mais utilizada para incrementar valor nos imóveis que se transacionam. E o design de luxo destaca-se, em particular, por ser procurado por investidores estrangeiros - e também um número crescente de portugueses - que pretendem incorporar peças únicas nas suas casas ou empresas. Seja para usufruto próprio ou colocação dos ativos no mercado. Uma realidade que acaba por criar oportunidades para empresas como a QuartoSala, especialista de interiores e uma referência no design de luxo nacional, que numa entrevista ao idealista/news explica a importância deste segmento para o mercado.

Pedro d’Orey, general manager da QuartoSala, não tem dúvidas de que a decoração pode ser uma técnica de marketing imobiliário que ajuda a potenciar o valor de uma casa para vender ou arrendar. Assinala que o mercado “está numa fase de consolidação” e que a “decoração de interiores ajuda a criar valor através de uma vivência mais emocional dos espaços”. A QuartoSala está no mercado, há mais de 20 anos, e apresenta-se com um conjunto de lojas de curadoria – são quatro, no total, em Lisboa - que disponibilizam, simultaneamente, serviços de design de interiores e decoração.

Sofá Avio, Knoll / QuartoSala
Sofá Avio, Knoll / QuartoSala

O público, de hoje em dia, é muito “transversal e abrangente” nas palavras de Pedro d’Orey, mas marcadamente “informado e cosmopolita”, gostando de se rever no lar através “de peças genuínas desenhadas por designers de referência”. Mas a aposta no design exclusivo já não se fecha dentro das paredes de uma casa, uma vez que há “cada vez mais empresas que usam peças de autor cuidadosamente selecionadas para projetar junto do público a sua imagem corporativa e os seus valores”. Um segmento que, garante, está a ganhar cada vez mais peso no portefólio da empresa.

Os estrangeiros dominam com duas nacionalidades à cabeça – brasileiros e norte-americanos –, ainda que os portugueses lhes estejam a seguir as pisadas nesta busca pelo design de luxo. Para Pedro d’Orey existe um claro “efeito de contaminação junto do público português que se deu com a chegada de estrangeiros com hábitos de consumo mais sofisticados”.

Quem procura o design de luxo, quais os tipo de produtos e projetos mais solicilitados e até que papel têm as redes sociais na criação de estilo. Este e outros temas foram abordados pelo general manager da QuartoSala na entrevista ao idealista/news, que agora reproduzimos na íntegra.

A QuartoSala está no mercado há 25 anos. Como evoluiu o negócio?

O nosso negócio teve sempre como objetivo ajudar as pessoas a integrarem bom design nas suas casas e no seu dia a dia. Sempre cultivámos o conhecimento e a partilha do que é “o bom design” e complementámos essa nossa missão com um atendimento rigoroso e atento. Fomos crescendo de uma forma muito sustentável até nos tornarmos numa organização de 30 pessoas com 4 lojas abertas ao público e um serviço de projetos de decoração que é uma referência na cidade de Lisboa.

O verdadeiro luxo não é o preço da peça, mas sim a curadoria que está por detrás das nossas escolhas.

Têm-se afirmado como referência para quem procura peças de design de luxo. Porquê?

Porque somos incansáveis na seleção de produtos especiais que sabemos que interessam ao nosso público. É um trabalho de curadoria. Temos o cuidado de não confundir os nossos clientes e mostramos apenas o que é realmente interessante. As pessoas apreciam a seriedade com que nos apresentamos e confiam em nós. Consideramos que o verdadeiro luxo não é o preço da peça, mas sim a curadoria que está por detrás das nossas escolhas.

Poltronas Mart e sofá Michel Club, B&B Italia na QuartoSala  / QuartoSala
Poltronas Mart e sofá Michel Club, B&B Italia na QuartoSala / QuartoSala

Quem procura design de luxo? Que tipo de produtos?

Eu diria que é um público muito transversal e abrangente. Mas são sempre pessoas informadas e cosmopolitas, que gostam de se rever dentro de suas casas através de peças genuínas desenhadas por designers internacionais de referência. Uns compram mais, outros menos, mas todos querem ter a experiência da exclusividade e do que é realmente único.

Por outro lado, temos as empresas que cada vez mais usam peças de autor cuidadosamente selecionadas para projetar junto do público a sua imagem corporativa e os seus valores.

(...) todos querem ter a experiência da exclusividade e do que é realmente único.

Procuram projetos chave-não ou peças específicas?

Procuram as duas coisas, dependendo da fase do processo de decoração em que se encontram. Para a QuartoSala, a qualidade do aconselhamento é sempre o fio condutor que ajuda as pessoas a comprarem com segurança. Quer seja a compra de uma peça especial ou a compra de todo o mobiliário para uma casa inteira.

O público é mais estrangeiro ou português?

Temos muitos estrangeiros e muito portugueses também. À QuartoSala chegam atualmente muito bons clientes portugueses e orgulhamo-nos disso. Existe um efeito de contaminação junto do público português que se deu com a chegada de estrangeiros com hábitos de consumo mais sofisticados. De alguma forma os portugueses estão a alinhar-se por modelos de consumo mais evoluídos e com gosto globalizado. 

Consegue identificar nacionalidades?

Entre os estrangeiros destacamos duas nacionalidades preponderantes. De um lado, o público brasileiro com quem a QuartoSala tem um relacionamento muito próximo pela nossa atuação no Brasil e também por sermos importadores para a Europa de marcas de design brasileiras. Do outro lado, temos o público norte-americano que tomou mais preponderância desde início de 2018. 

Além desses dois países assistimos a uma dispersão de diferentes nacionalidades como ingleses, suíços, suecos, alemães, franceses, holandeses, canadianos, passando por muitos outros países mais inesperados como África do Sul ou Israel, que confiam em nós para cuidar da decoração das suas casas.

Minotti, na loja do Príncipe Real, Rua de O Século  / QuartoSala
Minotti, na loja do Príncipe Real, Rua de O Século / QuartoSala

Abriram recentemente a quarta loja, no Príncipe Real. O que distingue este novo espaço?

A nova loja QuartoSala do Príncipe Real é um palco mais seletivo para as melhores marcas internacionais de design de mobiliário e iluminação. É uma loja onde tudo foi rigorosamente pensado para trazer uma experiência importante para quem a visita. Nomes como Minotti, B&B Italia, Flexform, Poliform, Knoll e Flos convivem lado a lado com edições limitadas de designers que complementam o espaço com peças realmente especiais.

Têm também uma loja dedicada ao design brasileiro. Porquê?

O mundo despertou para o design brasileiro e em Portugal nunca ninguém se tinha lembrado de comercializar as boas marcas. A QuartoSala ocupou esse espaço abrindo uma loja exclusivamente dedicada ao design brasileiro em Lisboa.

O mundo despertou para o design brasileiro e em Portugal nunca ninguém se tinha lembrado de comercializar as boas marcas

Desde 2016, o design brasileiro em Portugal tem estado associado à QuartoSala e ao trabalho de promoção que temos feito. Nomes brasileiros incontornáveios como Jader Almeida ou Sergio Rodrigues estão presentes na nossa loja como referências absolutas no mundo do design.

Relativamente aos projetos de design de interiores – o que é que os clientes procuram? Aquilo que “veem nas revistas”?

Os clientes procuram profissionais que consigam materializar as suas aspirações. As influências vêm de todos os quadrantes: das suas viagens, das revistas, das séries de televisão a que assistem e de muitas outras referências singulares e globais que no todo formam uma aspiração única para cada cliente.

As influências vêm de todos os quadrantes: das suas viagens, das revistas, das séries de televisão (...)

Que tipo de projetos fazem?

Eu diria que fazemos projetos de design de interiores para pessoas que procuram integrar qualidade nas suas vidas e delegam na nossa “expertise” a missão de tornar as suas casas melhores. A maioria são projetos residenciais, mas os projetos corporativos têm vindo a tomar peso no portfólio da QuartoSala.

Em que pontos da casa é fundamental ter design e/ou investir em luxo?

Se pensarmos que o luxo é uma vivência do que é mais especial e único podemos concluir que qualquer lugar da casa pode ser alvo dessa ambição. Mas pela nossa experiência podemos dizer que é nas áreas sociais da casa que as pessoas mais investem, mesmo se algumas peças especiais complementam a experiência de design nas áreas mais íntimas da casa. As pessoas usam as peças especiais para projetarem a sua imagem perante uma sociedade que devora a experiência de consumo dos outros para construírem as suas próprias experiências e evoluírem a partir delas.

Pela nossa experiência, podemos dizer que é nas áreas sociais da casa que as pessoas mais investem.

Nos últimos anos o acesso ao design massificou-se e tornou-se mais acessível. Como vê esta tendência?

O design, e muito particularmente o design de interiores, traz-nos qualidade de vida e é muito bom que se tenha instalado como uma matéria a que as pessoas prestam atenção. Isso quer dizer que estão mais concentradas em tornar as suas vidas melhores, mais funcionais e ricas de conteúdo.

Coleção da Flexform, Loja do Príncipe Real / QuartoSala
Coleção da Flexform, Loja do Príncipe Real / QuartoSala

Qual o papel das redes sociais na criação de estilo?

Como em tudo, nas redes sociais temos o seguidores e os que ousam, e se fazem seguir. As redes sociais podem servir para as pessoas demonstrarem o seu alinhamento com padrões de gosto normalizados ou podem servir para as pessoas afirmarem a sua criatividade e diferença. Uns seguem o estilo dos outros e outros afirmam o seu próprio estilo. Através da redes sociais é possível marcar rapidamente e de uma forma transversal o seu próprio estilo.

A  decoração pode ser uma técnica de marketing imobiliário e ajudar a potenciar o valor de uma casa para vender ou arrendar?

Sem dúvida nenhuma. O mercado imobiliário em Portugal está numa fase de consolidação e a decoração dos interiores ajuda a criar valor através de uma vivência mais emocional dos espaços. 

Shop in Shop Poliform na loja de Paço de Arcos / QuartoSala
Shop in Shop Poliform na loja de Paço de Arcos / QuartoSala