Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Condomínios: prós e contras de entregar a gestão a uma empresa externa

O custo é um dos fatores a ter em conta, mas há mais. O Deco Alerta de hoje explica as vantagens e desvantagens desta decisão.

Photo by Emily Morter on Unsplash
Photo by Emily Morter on Unsplash
Autor: Redação

Assumir o cargo e responsabilidades de administrador de condomónio é algo a que muita gente tenta escapar, se pode. Habitualmente, discute-se se é possível e, mais ou menos, vantajoso fazer rodar a tarefa entre os vizinhos ou entreguar este trabalho a um fornecedor externo. O custo é um dos fatores que mais pesa, mas não é o único. Há vários prós e contras, que explicamos no Deco Alerta de hoje. 

Esta rubrica semanal é destinada a todos os consumidores em Portugal, sendo assegurada pela Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor para o idealista/news. Envia a tua questão para a Deco, por email para decolx@deco.pt ou por telefone para 00 351 21 371 02 20.

Um dos condóminos do nosso prédio sugeriu, em assembleia que se optasse pela gestão externa do condomínio. Na verdade, nenhum de nós gosta de ser o administrador do condomínio. A primeira questão levantada pelos condóminos foi a financeira. Quanto custa o serviço? Que vantagens e desvantagens existem nesta decisão?  

A questão financeira num condomínio é sempre a primeira ser levantada e, por essa razão, na maioria dos casos, a gestão de condomínio é responsabilidade dos próprios condóminos, decidindo-se não entregar a tarefa a uma empresa. 

Relativamente às vantagens e desvantagens desta decisão, apresentamos-te este quadro em que se estabelece a comparação entre os modelos de gestão do condomínio: 

Deco
Deco

A decisão final terá sempre de ter em conta a opinião e realidade de todos os condóminos, sendo que nesta realidade está englobada a sua dimensão, as suas características estruturais, a disponibilidade ou não de todos vós e da “saúde” financeira do condomínio.