Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Palácio Povolide (onde está o Ateneu de Lisboa) classificado como monumento de interesse público

Construído no século XVII, o imóvel histórico que acolhe o centro cultural sobreviveu ao terramoto de 1755, que devastou a capital.

Google Maps
Google Maps
Autor: Redação

O Palácio Povolide, em Lisboa, onde se encontra sediado o espaço cultural Ateneu, foi classificado como monumento de interesse público, incluindo o património móvel integrado, de acordo com uma portaria publicada em Diário da República. Segundo o diploma, além da fachada do edifício, "o interior conserva ainda vários elementos decorativos que importa manter".

Construído no século XVII, o Palácio Povolide sobreviveu ao terramoto de 1755 e foi adquirido por Henrique Burnay aos Condes de Valadares e Povolide, "tendo-o alterado profundamente nos anos de 1886-1887, mantendo, apesar de tudo, uma considerável dignidade e qualidade arquitetónicas, sobretudo ao nível da fachada, onde se destaca um dos mais perfeitos e raros portais seiscentistas de Lisboa", indica a portaria.

Acima de tudo, “conserva uma atmosfera que deve ser preservada, trazida pelo Ateneu Comercial de Lisboa que o alugou em 1895, que se encontra igualmente noutras agremiações aproximadamente da mesma época, como o Grémio Literário, o Círculo Eça de Queiroz ou a Sociedade de Geografia de Lisboa”, acrescenta ainda o documento.

A Assembleia da República recomendou, por isso, ao Governo a salvaguarda do Ateneu Comercial de Lisboa e das suas instalações e acervo, “com base no estatuto de utilidade pública da instituição, na notabilidade do seu edifício-sede e na relevância do seu património móvel, "de forma a prosseguir os fins para que foi destinado".

De acordo com a portaria, a classificação do Palácio Povolide, reflete os critérios do regime de proteção e valorização do património cultural, "relativos ao interesse do bem como testemunho notável de vivências ou factos históricos, à sua extensão e ao que nela se reflete do ponto de vista da memória coletiva e à sua importância do ponto de vista da investigação histórica ou científica".