Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casa Fernando Pessoa já reabriu: um lugar de memória e literatura para visitar em segurança

O espaço localizado no centro de Lisboa esteve fechado mais de um ano para obras de reabilitação. A entrada é livre até setembro mediante marcação prévia.

Imagem do interior / José Frade
Imagem do interior / José Frade
Autor: Redação

Depois de mais de um ano fechadas, as portas da Casa Fernando Pessoa, localizada no bairro de Campo de Ourique, em Lisboa, estão de novo abertas ao público – a reabertura aconteceu este sábado, 29 de agosto de 2020. Após as obras de remodelação, a casa onde o poeta português morou nos seus últimos 15 anos de vida é agora um lugar mais acessível, com uma nova exposição, um auditório relocalizado e uma biblioteca renovada. A entrada é livre até ao final de setembro, mas devido à situação atual, consequência da pandemia, as visitas terão de ser feitas mediante marcação prévia.

As novas portas abrem-se na Rua Coelho da Rocha, 16-18, após uma intervenção que dotou o espaço com melhores condições de acessibilidade e permitiu aumentar consideravelmente a área expositiva. Na Casa Fernando Pessoa é possível visitar a reconstituição do quarto do escritor, a sala multimédia e a biblioteca especializada em poesia mundial.

José Frade
José Frade

Na nova exposição de longa duração, cumprindo todas as normas de conservação, estará exposta grande parte dos livros que pertenceram ao escritor e o mais importante acervo da Casa. “Este valioso conjunto, mostrado na sua quase totalidade valoriza a relação entre leitura e escrita, revelando o escritor que Pessoa foi através dos livros que leu e das marcas que deixou nestas peças”, lê-se no comunicado da instituição.

José Frade
José Frade

Documentos vários e objetos pertencentes ao escritor serão igualmente mostrados nesta exposição. São peças que permitem contar episódios da vida de Fernando Pessoa em Lisboa, onde teve mais de 16 moradas, e na África do Sul, onde passou a juventude e onde começou a construir a sua biblioteca particular. São também testemunhos da vida da cidade no tempo em que o escritor viveu, e do meio literário em que se movia.

Estarão também em destaque obras de arte em que o poeta é representado, como o célebre quadro de Almada Negreiros ou os desenhos de Júlio Pomar. “Ao mesmo tempo que é oferecida a quem visita o museu uma experiência de contacto muito próximo com estes trabalhos em torno da figura de Pessoa, são também dadas a conhecer as figuras criadas por Pessoa, no seu inovador jogo literário: a criação dos heterónimos, o complexo e divertido sistema que é marca distintiva do escritor na história da literatura”, acrescenta o documento.

José Frade
José Frade

O espaço da biblioteca - a Casa Fernando Pessoa alberga uma vasta coleção de livros de e sobre Pessoa e também de poesia mundial-  foi também renovado, permitindo receber com melhores condições de trabalho investigadores e estudantes. O novo auditório, localizado no piso térreo, torna-se também mais acessível mantendo a possibilidade de funcionamento em horário diverso dos restantes espaços da Casa.

A história da Casa Fernando Pessoa

Em 1920, Fernando Pessoa mudou-se com a família para o 1º direito do número 16 da Rua Coelho da Rocha, em Campo de Ourique, Lisboa – foi aqui viveu até dias antes da sua morte, a 30 de novembro de 1935. Este e os restantes apartamentos do edifício tiveram diferentes ocupações nos anos que se seguiram.

No final dos anos 80, a Câmara Municipal de Lisboa adquiriu o prédio, que se encontrava em mau estado de conservação e em risco de ser demolido. O facto de ter sido a última morada de Fernando Pessoa fazia deste edifício um lugar privilegiado para depósito e exibição do espólio do escritor, então na posse da CML: objetos pessoais, algum mobiliário e uma grande parte dos livros que pertenceram ao escritor.

Inaugurada a 30 de novembro de 1993, no dia do aniversário da morte do poeta, a Casa está desde então aberta ao público. Em 2012, passou a ser gerida pela EGEAC – empresa municipal que gere a maior parte dos equipamentos culturais da CML.

A Casa Fernando Pessoa está aberta ao público de terça a domingo, das 11h às 17h (última entrada às 16h), e a entrada é livre até ao final do mês de setembro. Para controlo de lotação e por questões sanitárias é necessária a inscrição prévia para o email visitas@casafernandopessoa.

Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML
Ana Luísa Alvim/CML