Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Vila Nova de Gaia prevê construção de 1.200 casas de renda acessível

Já estão identificados sete locais no concelho para a construção das habitações. Rendas podem ir de 250 a 350 euros.

Foto de Lisa Fotios no Pexels
Foto de Lisa Fotios no Pexels
Autor: Redação

A  Câmara Municipal de Gaia está a desenvolver um projeto que prevê a construção de um total de cerca de 1.200 fogos de habitação de renda acessível, "para ajudar as famílias gaienses a fazerem face aos elevados preços do mercado da habitação", revela um comunicado da autarquia. Já estão identificados sete locais no concelho para a construção das habitações, de tipologias T2 e T3, e cujas rendas podem ir de 250 a 350 euros.

As habitações baseiam-se num projeto-tipo, estando já garantida a construção de 400 fogos nos Arcos do Sardão, Avintes, Canelas, Canidelo, Pedroso, Sandim e Vilar de Andorinho, segundo se lê no site do município. De acordo com o presidente da autarquia, Eduardo Vítor Rodrigues, "as necessidades identificadas e a ambição apontam para as 1.200 casas”, explicando ainda que "a Estratégia Local de Habitação exige que, obrigatoriamente, estas casas fiquem em terrenos com acessos e transportes". "Não vamos construir em locais que ninguém quer”, refere. 

Numa fase mais avançada está o projeto para os Arcos do Sardão. Segundo Eduardo Vítor Rodrigues, o financiamento a 100% a fundo perdido, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, "é uma forte possibilidade". Sem adiantar valores ou prazos, tem a expectativa de que seja célere, "porque os fundos da ‘bazuca’ vão ser executados rapidamente”.

Neste caso, está prevista a construção de cerca de 30 casas, tratando-se de moradias de rés-do-chão e primeiro piso geminadas e que contemplam pormenores de eficiência energética, como painéis solares. A candidatura a fundos europeus deverá seguir no próximo mês de abril.