Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa vai ter um novo pomar, miradouro e um parque hortícola na zona de Monsanto

O pomar terá 656 árvores, desde limoeiros, tangerineiras, macieiras, figueiras, pessegueiros, pereiras, entre outras, e estará concluído até ao final deste ano.

Photo by Nathan Hulsey on Unsplash
Photo by Nathan Hulsey on Unsplash
Autor: Redação

A zona de Monsanto, em Lisboa, está a ganhar nova vida. Com a plantação das primeiras árvores, no dia 15 de março, pelo vereador da autarquia José Sá Fernandes e pelo sub-diretor Geral dos Serviços Prisionais, Francisco Navalho, deu-se início à criação de um novo pomar e miradouro no Parque Florestal de Monsanto, que também vai ter hortas municipais.

O pomar, que estará implantado em socalcos, terá um perímetro de vedação, sendo que parte dos produtos será vendido, enquanto outra parte será doada, segundo o comunicado da Câmara Municipal de Lisboa (CML). A primeira fase terá uma área para cultivo hortícola, dentro dos mesmos moldes, havendo disponibilização de parte dos cerca de 10.000m2 para talhões a atribuir à população, naquele que será o primeiro parque hortícola municipal no Parque Florestal de Monsanto.

Planta com as fases do projeto / CML
Planta com as fases do projeto / CML

O pomar terá 656 árvores, desde limoeiros, tangerineiras, macieiras, figueiras, pessegueiros, pereiras, entre outras, e estará concluído até ao final deste ano, representando no seu conjunto um investimento de 50.000 euros. A fase de plantação passará, nesta época, pelos primeiros 285 exemplares, sendo as restantes 371 para o outono.  Numa segunda fase, com início em ainda em 2021, o projeto envolverá a reabilitação de um olival e de um amendoal.

Além disso, está garantido o acesso de visitantes a um novo miradouro sobre o pomar com vista sobre a cidade e a usufruto de áreas de prado e olival. “A circulação far-se-á por trilhos ligeiros sobre o terreno existente”, lê-se no documento.