Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Museu Judaico de Lisboa construído em Belém: francês Claude Berda deverá doar até 4 milhões

Além do futuro espaço cultural, foi ainda anunciada a construção de um memorial de homenagem ao povo judaico, no Largo de São Miguel, em Alfama.

Projeto do Museu Judaico de Lisboa / CML
Projeto do Museu Judaico de Lisboa / CML
Autor: Redação

Com vista para o Tejo, entre a Avenida da Índia e a Rua das Hortas, em Belém. É aqui que vai nascer o Tikvá - Museu Judaico de Lisboa, cujas obras devem ficar concluídas em 2024. Com uma área aproximada de 4.000 m2, o Tikvá, que significa esperança em hebraico, vai retratar os quase dois mil anos de história do judaísmo em Portugal, “pretendendo preservar e divulgar a memória e a vivência judaica, e valorizar as diferenças culturais, promovendo a integração inter-religiosa”. A Câmara Municipal de Lisboa (CML) e a Associação Hagadá, fundada para criar, instalar e gerir o novo espaço, já assinaram o protocolo de colaboração, onde ficou acordado o direito de superfície do terreno

A cerimónia decorreu numa data simbólica (31 de março), em que se assinalou o segundo centenário da abolição do Tribunal da Inquisição. Um “período de escuridão” que será também lembrado no museu, mas dedicado “sobretudo” à “parte luminosa” da história do povo judaico, segundo as palavras do presidente da Associação Hagadá, Esther Mucznik, citado pela autarquia.

Daniel Libeskind será o arquiteto responsável pelo desenvolvimento do Museu Judaico em Lisboa. Desenhou os museus judaicos de Berlim, São Francisco e Copenhaga, bem como os memoriais do Holocausto nos Países Baixos, no Canadá e nos Estados Unidos e a reconversão do Ground Zero, em Nova Iorque, e deverá ser apoiado em Portugal pelo atelier Miguel Saraiva e Associados.

Além do futuro espaço cultural, foi ainda anunciada a construção de um memorial de homenagem ao povo judaico, no Largo de São Miguel, em Alfama, perto da mais antiga judiaria que existiu em Lisboa, na Idade Média.

O francês Claude Berda, dono da Vanguard Properties, deverá investir até quatro milhões de euros no projeto, segundo a notícia avançada pelo ECO. De acordo com a publicação, o milionário vai investir dois milhões numa fase inicial, mas admite a hipótese de duplicar o investimento numa fase posterior. Ao que tudo indica, a obra deverá custar, no total, mais de 15,5 milhões de euros.