Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Museu de Siza Vieira e Carlos Castanheira na China vence Prémio Edifício do Ano Archdaily

O edifício foi o mais votado na categoria Arquitetura Cultural.

Carlos Castanheira + Álvaro Siza/HouPictures Exterior Entrada de luz natural / Carlos Castanheira + Álvaro Siza/HouPictures Inte
Carlos Castanheira + Álvaro Siza/HouPictures Exterior Entrada de luz natural / Carlos Castanheira + Álvaro Siza/HouPictures Inte
Autor: Redação

O Museu da Arte e da Educação (MoAE) em Ningbo, na costa leste da China, um trabalho conjunto dos arquitetos portugueses Álvaro Siza Vieira e Carlos Castanheira, venceu o prémio Edifício do Ano 2021 da plataforma internacional de arquitetura ArchDaily, na categoria Arquitetura Cultural.

O edifício de Álvaro Siza e Carlos Castanheira era finalista, na categoria de Arquitetura Cultural, com o Museu Audemars Piguet, em Le Brassus, na Suíça, o centro chinês de Arte de Qujiang, em Xi`an - Shanxi, o edifício Experimenta, em Heilbronn, na Alemanha, e com o MEETT - Centro de Congressos e Exposições de Toulouse, segundo escreve a Lusa. Esta categoria é uma das 15 que compõem os prémios do ArchDaily, e o projeto do MoAE foi o único de arquitetos portugueses entre os candidatos, nesta edição.

“Fico contente. Este foi um projecto que deu muito trabalho, mas também muito entusiasmo.” E, obviamente, “é sempre bom ganhar e ser premiado”, disse Carlos Castanheira em declarações ao Jornal Público.

O museu tem 5.300 m2 e uma forma triangular solta, suavizada por várias arestas curvas, na qual se destaca o metal corrugado preto que envolve as paredes corrugadas e sem janelas, tal como se pode ler nesta notícia do idealista/news, com uma galeria de imagens do museu. A estrutura de metal preto esconde interiores inesperadamente luminosos e espaçosos que incluem um labirinto de rampas e galerias de arte com paredes brancas.

O interior é igualmente impressionante. No rés-do-chão, o volume do museu surge isolado e delimitado nas três faces. Os acessos e serviços públicos localizam-se na fachada noroeste, no espaço entre o museu e a encosta. Este espaço estende-se, envolvendo o museu e ligando-se à via de acesso.

Povoação colorida no Irão vence na categoria Habitação

Na categoria Habitação, o projeto escolhido foi Presence in Hormuz, do escritório Zav Architects, uma povoação colorida, no Sul do Irão. Esta cidade foi projetada como parte de uma iniciativa para remediar as lutas económicas locais e unir turistas e a comunidade num espaço cultural partilhado, tal como noticiado pelo idealista/news. 

Soroush Majidi/ZAV Architects
Soroush Majidi/ZAV Architects