Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Decorar a casa com feng shui: Antarte expande rede e abre cinco lojas em plena pandemia

Marca portuguesa de mobiliário e decoração, com fábrica em Paredes, está presente em Portugal e vários países africanos. Negócio escapa à Covid-19..

Antarte
Antarte
Autor: Redação

Criada em 1999 pelo casal Rocha, a empresa portuguesa de mobiliário e decoração Antarte decidiu agora apostar numa nova área de negócio: o feng-shui. Dentro desta estratégia, a marca nacional tem em curso um investimento de 1,8 milhões de euros dedicados à abertura de cinco 'concept-stores' até ao final do ano, que se juntam às 17 lojas localizadas em Portugal e vários países africanos, com que fechou o exercício de 2019.

A primeira das cinco abriu em julho, em Santa Maria da Feira, seguindo-se, este mês, a de Leça da Palmeira, em Matosinhos, ficando para mais tarde as de Guimarães, Lisboa e Paredes, segundo escreve o Negócios.

“Numa altura em que vivemos sob um nível de stress muito elevado, e particularmente nestes últimos meses, as pessoas estão a aperceber-se da importância e do privilégio que é viver numa casa com um ambiente harmonioso e tranquilo. Este projeto veio na hora certa”, disse ao diário a cofundadora Zita Rocha, que descobriu esta filosofia milenar há dez anos e frequenta o primeiro de três anos do curso na Escola Nacional de Feng Shui.

Fábrica em Paredes e lojas em Portugal e África

A Antarte fechou o último exercício com uma faturação de cerca de seis milhões de euros, um terço dos quais foram gerados num total de 13 mercados externos. E emprega 212 pessoas, divididas pela fábrica em Paredes (120), lojas nacionais (32) e internacionais (60), distribuídas pelas lojas que tem Angola, Gana, Marrocos, São Tomé e Príncipe, África do Sul e Costa do Marfim.

Sobre o impacto da pandemia da Covid-19 no negócio, o CEO da Antarte, Mário Rocha, declarou ao Negócios que “felizmente, não podemos dizer que a pandemia teve um impacto negativo nas nossas vendas. Na realidade, não temos perdas a registar em termos de faturação”, garantiu o CEO da Antarte, que até prevê fechar 2020 com um crescimento de meio milhão de euros face ao volume de negócios registado no ano passado.

Crescer com à boleia dos famosos

A Antarte - cuja marca resulta da fusão de antiguidade com arte - nasceu há cerca de 20 anos como uma empresa dedicada às antiguidades e à arte, nomeadamente ao restauro de peças antigas e à comercialização de peças de mobiliário marcados por um estilo mais clássico. 

Foi em 2008 que a empresa deu um salto em termos de projeção e notoriedade, quando foi responsável pela conceção e produção da cadeira do então Papa Bento XVI, aquando da sua visita a Portugal, conta o Negócios, dando ainda nota de que, quatro anos depois, foi convidada a produzir duas cadeiras exclusivas – a de José Mourinho e de Cavaco Silva, que nessa altura eram, respetivamente, treinador do Real Madrid e Presidente da República de Portugal.

Este ano, foi a “Marca nº1 da Escolha do Consumidor 2020” no setor do mobiliário e decoração, atribuído pela Consumer Choice.