Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Minimercados sem funcionários e que vendem de tudo 24 horas por dia chegam a Portugal

Lojas autónomas da brasileira Onii estão pensadas para ser instaladas em condomínios residenciais, centros empresariais, recreativos ou universitários.

Onii
Onii
Autor: Redação

Lisboa foi escolhida pela 'start-up' brasileira Onii para arrancar com a internacionalização das suas primeiras lojas autónomas na Europa. O conceito é similar a um minimercado, que funciona 24 horas por dia, sete dias da semana, sem funcionários, com o acesso e o pagamento feitos de maneira automatizada via aplicação (app) da marca. E o objetivo é que funcionem dentro de condomínios residenciais, hospitais, centros empresariais, recreativos ou universitários.

No Brasil, onde começou em 2020 com apenas uma loja, a Onii já opera 125, tem 205 em fase de instalação e prevê fechar 2021 com 500, segundo conta o Negócios, dando nota da entrada agora no mercado nacional, através da capital do país.

O CEO da Onii, citado pelo jornal, revelou que a empresa “acaba de assinar o contrato com um ‘master’ licenciado em Portugal”. Sem querer ainda identificar o parceiro luso – “um empresário português do ramo de eventos e varejo [retalho]” –, detalhou que em causa está “o licenciamento de tecnologia” aplicado pela start-up paulista.

Para já, “serão inauguradas cinco lojas próprias na cidade de Lisboa, mas já há conversas para a abertura de, pelo menos, três unidades licenciadas em outras regiões do país”, adiantou Victor Azouri Bermudes. Se, no caso da capital, as localizações “ainda estão a ser analisadas”, as restantes deverão surgir “no Porto/Gaia, Sintra e Cascais”. “Acreditamos que a experiência em Portugal será bem-sucedida”, enfatizou.

O CEO da Onii garantiu que as lojas em Portugal irão funcionar tal e qual “como no Brasil”. A empresa oferece vários tipos de loja com variação de tamanhos, que vão dos dois aos 20 metros quadrados (m2). “Dependendo do modelo”, têm capacidade para vender “de 180 a 650 tipos de produtos”, sendo o “mix definido” em função de “cada local onde instalaremos” as unidades.

Em média, afiançou o gestor, cada loja fatura “de 15 mil a 22 mil euros” por mês – “por exemplo, um loteamento com 200 casas fatura de três mil a 4,4 mil euros mensais.” O investimento, “dependente do modelo da loja”, oscila entre os 1.500 e os 18 mil euros”. 

E a Onii espera também chegar, “em breve”, aos Estados Unidos e ao Chile. “Já temos ‘masters’ licenciados nesses países", disse ainda Bermudes.