Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Bezos, Gates, Zuckerberg e outros: assim lutam os mais ricos do mundo contra o Covid-19

Grandes fortunas aliam esforços doando dinheiro e recursos logísticos e tecnológicos no combate global à pandemia do coronavírus.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

As maiores fortunas do planeta estão a fazer doações para a compra de material sanitário em todo o mundo e a oferecer às instituições públicas as suas plataformas logísticas para acelerar os envios, bem como os seus sistemas de inteligência artificial para encontrar uma vacina contra o coronavírus. Apresentamos as ajudas que têm vindo a dar os fundadores de Inditex (dona da Zara), Amazon, Microsoft, Facebook, LVMH, Alibaba ou L'Oréal:

Amancio e Sandra Ortega

Uma das maiores fortunas do país vizinho fez uma doação através da Inditex, o grupo fundado pela cabeça de família, cerca de 300.000 máscaras cirúrgicas e 10.000 máscaras protetoras. Além disso, ofereceu ao governo espanhol o seu pleno apoio logístico para transportar desde a China as compras que se realizem de material sanitário, como luvas, óculos protetores, tocas e máscaras.

Por outro lado, a Fundação que leva o seu nome fretou dois aviões para levar cerca de 600 estudantes espanhóis estagiários do organismo nos EUA e Canadá. A sua filha Sandra Ortega também doou mais de um milhão de máscaras, a par de milhares de macacos e palas de proteção para os profissionais de saúde.

Jeff Bezos

O fundador de Amazon é atualmente dono da maior fortuna do mundo. E, ainda que não tenha colocado um plano concreto sobre a mesa, Bezos publicou nas suas redes sociais que está a ajudar a integrar a sua tecnologia de inteligência artifical para criar um mapa mundial da pandemia e a traduzir materiais da OMS. Além disso, está a oferecer apoio logístico para entregar kits de testes rápidos para detetar o vírus.

Bill Gates

O fundador de Microsoft é o segundo homem mais rico do planeta. Através da sua Fundação canalizou diferentes ajudas nos últimos dois meses. Em fevereiro, por exemplo, doou cerca de 90 milhões de euros (100 milhões de dólares) para reforçar a deteção e tratamento do vírus em todo o mundo, proteger os grupos de risco e desenvolver diagnósticos e tratamentos. E em março anunciou mais de 4 milhões de dólares para a região de Seattle, uma das zonas mais afetadas dos EUA.

Além disso, colocou em marcha um projeto de colaboração com companhias médicas e farmacéuticas para partilhar experiência e informação e descobrir o quanto antes uma vacina. GSK, Johnson & Johnson, Novartis, Pfizer e Sanofi são alguns de dos gigantes que participam nesta iniciativa.

Carlos Slim

A Fundação do magnata mexicano destinou cerca de 40 milhões de euros (1.000 milhões de pesos) para comprar material no seu país natal. Para ajudar pacientes gravemente doentes, a doação será destinada à compra de ventiladores e outros materiais, além de equipamentos para profissionais de saúde. Também colabora com a desinfeção de hospitais públicos. Além disso, a Fundação fez uma parceria com o Ministério da Educação Pública (SEP) para levar a sua plataforma de educação a distância aos estudantes. As aulas em todos os níveis estão suspensas até 20 de abril.

Mark Zuckerberg

A Chan Zuckerberg Foundation, fundada pelo fundador do Facebook e a sua esposa Priscilla Chan, chegou a um acordo com o centro de pesquisa Biohub Chan Zuckerberg e a Universidade de São Francisco (UCSF) para realizar 1.000 testes diários de deteção de vírus.

Bernard Arnault

O dono do grupo francês de luxo LVMH converteu as suas unidades de produção de perfumes e cosméticos para fabricar e distribuir gel hidroalcoólico gratuitamente. Fez, por outro lado, um acordo com um fornecedor industrial chinês para a entrega de 10 milhões de máscaras para pacientes e casas de banho em França um pedido que será pago pelo grupo. Erometeu fazer mais entregas semelhantes por, pelo menos, durante quatro semanas.

Jack Ma

A primeira medida anunciada pelo fundador e presidente executivo da gigante chinesa Alibaba foi doar através da sua Fundação cerca de 13 milhões de euros (100 milhões de yuans) para trabalhos de pesquisa para encontrar uma vacina contra o coronavírus, além de disponibilizar às autoridades públicas chinesas todo o desenvolvimento dos seus computadores de Inteligência Artificial.

Em um segundo lugar, quando o vírus começou a espalhar-se pelo mundo, concentrou a ajuda no envio de máscaras e materiais médicos (testes, roupas de proteção, escudos, ventiladores ...) para outros países, desde o Japão, Irã e Coréia do Sul, passando por Espanha, França, EUA, América Latina e vários países africanos. Além da ajuda direta, a Fundação partilhou um manual que foi seguido por um hospital chinês no qual não ocorreram mortes e que foi traduzido para sete idiomas.

Françoise Bettencourt Meyers

A única filha de Liliane Bettencourt é a proprietária do grupo francês L'Oréal, que começou a fabricar géis desinfetantes em os seus centros de produção. Também decidiu congelar as faturas de pequenas empresas, como cabeleireiros e perfumarias, até que possam reabrir, e doou um milhão de euros a várias organizações e fundações sem fins lucrativos por meio da Fundação L'Oréal.