Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

PIB

Últimas notícias sobre "PIB" publicadas em idealista.pt/news

Défice do segundo trimestre (10,5%) é o maior desde a resolução do BES, em 2014

No primeiro semestre de 2020, o défice ficou nos 5,4% do PIB, mas esta é uma “média” – entre janeiro e junho – com dois períodos muito diferentes: no primeiro trimestre, que foi parcialmente afetado pela pandemia da Covid-19, o défice foi de 1,1% enquanto no segundo trimestre, completamente afetado pela crise, o défice foi de 10,5% do PIB, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Trata-se do maior défice num trimestre desde a resolução do BES, no terceiro trimestre de 2014, a qual levou o saldo orçamental para os -16%.

Notícia sobre:

Endividamento da economia portuguesa à lupa: baixa para 735,4 mil milhões de euros em junho

O endividamento da economia portuguesa desceu no final do primeiro semestre, tendo atingido 735,4 mil milhões de euros em junho, um valor que compara com o máximo histórico de 740 mil milhões verificado em maio. Em causa estão dados divulgados recentemente pelo Banco de Portugal (BdP).

Notícia sobre:

PIB caiu menos que o estimado pelo INE: economia recuou (afinal) 16,3% em plena pandemia

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu esta sexta-feira (14 de agosto de 2020) a queda do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre, melhorando a sua anterior estimativa em duas décimas em termos homólogos e em cadeia, para 16,3% e 13,9%, respetivamente.

Notícia sobre:

Economia afunda 16,5% no segundo trimestre: é a maior queda de sempre do PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) português caiu 16,5% no segundo trimestre de 2020 face ao mesmo período de 2019, tendo também contraído 14,1% em cadeia, ou seja, face aos primeiros três meses do ano. Trata-se, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), da maior queda do PIB desde que há registo oficial, sendo que a anterior maior remonta ao quarto trimestre de 2012, quando a economia portuguesa contraiu 4,5%.

Notícia sobre:

Despesa corrente em saúde aumentou em 2018 e 2019 mais de 5%

A despesa corrente em saúde aumentou em 2018 e 2019, em termos nominais, 5,6% e 5,2%, respetivamente, sendo superior à variação nominal do PIB, revelam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta segunda-feira (13 de julho de 2020). O INE estima ainda que a despesa das famílias em saúde tenha crescido 6% em 2019, acima dos 4,4% observados no ano anterior.

Notícia sobre:

Famílias estão a poupar mais na pandemia

A taxa da poupança das famílias aumentou para 7,4% do rendimento disponível no primeiro trimestre de 2020, mais 0,6% que no trimestre anterior, divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quarta-feira (24 de junho). A subida deve-se a uma redução do consumo e a um aumento do rendimento.

Notícia sobre:

Portugal já teve um défice de 1,1% do PIB no primeiro trimestre de 2020

Portugal registou um défice orçamental de 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB) até março, em contas nacionais, revelam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicados esta quarta-feira (24 de junho de 2020). O primeiro trimestre ainda foi pouco afetado pelos efeitos da Covid-19 na economia, bem como pelas medidas que o Governo adoptou para fazer face ao impacto da pandemia, pelo que os efeitos deverão ser mais acentuados a partir do segundo trimestre.

Notícia sobre:

PIB em queda livre empurrado pela pandemia

O Produto Interno Bruto (PIB) deve cair entre 15% a 20% no segundo trimestre desde ano, devido à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. Trata-se de uma queda sem precedentes em Portugal nas últimas décadas, estima o ISEG na Síntese de Conjuntura de maio, que foi publicada sexta-feira (5 de junho de 2020).

Notícia sobre:

Previsões do PIB das principais economias mundiais para 2020

As principais economias mundias estão a sentir o impacto da pior crise dos últimos anos, devido à pandemia do novo coronavírus. Nas previsões para 2020, apenas China, Indonésia e Coreia do Sul devem ver o PIB melhorar, um cenário bem diferente do que se deverá verificar em Portugal, Espanha e Itália, por exemplo – nos dois últimos países, o PIB deverá mesmo recuar mais de 10%.

Notícia sobre: