Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Turismo: investidores de olhos postos no setor hoteleiro em África

Autor: Redação

Os investidores internacionais estão cada vez mais de olhos postos no setor imobiliário hoteleiro africano, que está em franco crescimento. Segundo o estudo “Spotlight on Africa: Opportunity on the Horizon”, da consultora JLL, o potencial de investimento em hotéis em África melhorou significativamente na última década, mas continua a “apresentar bastantes desafios”.

Os números revelados pela JLL são reveladores, com as previsões a apontarem para que o número de turistas aumente 5,7% por ano no continente. A consultora “espera que a procura hoteleira aumente a uma taxa de 5% ao ano entre 2015 e 2017”, sendo que determinados países apresentam “uma trajetória de crescimento mais elevada enquanto outros mercados se encontram em contração”.

O estudo concluiu que 46% dos investidores querem investir na promoção de hotéis em África enquanto 17% estão a olhar apenas para aquisições e 37% procuram os dois tipos de operação. “Este é o reflexo da natureza emergente do imobiliário hoteleiro em África”, refere a empresa em comunicado.

Para Xander Nijnens, vice-presidente Sénior da JLL Hotels & Hospitality Group para a África Subsariana, “os investidores locais e regionais dominam o investimento hoteleiro e a propriedade de hotéis nesta região”. “Os próximos anos serão de uma significativa evolução na paisagem do imobiliário hoteleiro em África, e antecipamos que o capital global fluirá para o setor quando surgirem as oportunidades certas”, referiu o responsável.

Já Karina Simões, vice-presidente do Hotels & Hospitality Group da JLL em Portugal, considera que se está “a assistir a uma recuperação sustentada do mercado turístico” em África. “Com o crescente número de oportunidades de investimento em hotéis, verifica-se elevado potencial para a entrada de marcas hoteleiras internacionais, num mercado onde se registam os mais baixos rácios de quartos com marca associada por milhão de habitantes”, concluiu.