Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Dormidas em Portugal: de onde são os turistas estrangeiros?

INE
INE
Autor: Redação

Em dezembro de 2018, os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 1,2 milhões de hóspedes e 2,8 milhões de dormidas, mais 3,3% e 2,5%, respetivamente, que no mês anterior. Um aumento que se deve sobretudo ao número de dormidas dos não residentes, que cresceram 3,6% num mês. 

“Os 15 principais mercados emissores representaram 83% das dormidas de não residentes na hotelaria em dezembro. O mercado britânico (16,3% do total de dormidas de não residentes em dezembro) cresceu 8,5% em dezembro. Em termos anuais, este mercado deteve uma quota de 21% (-1,3%) e decresceu 7,5% (+1,2% em 2017)”, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo a entidade, as dormidas de hóspedes alemães (12,9% do total) cresceram 5,8% em dezembro e diminuíram 4,3% entre janeiro e dezembro 2018 (+7,8% em 2017). Em 2018, este mercado representou 13,2% das dormidas de não residentes (-0,3%).

Já no “mercado espanhol (14,4% do total) verificou-se uma redução de 7% em dezembro mas um crescimento de 1,9% entre janeiro e dezembro de 2018 (+3,1% em 2017)”. “A quota de 2018 situou-se em 10,1% (+0,1%)”, conclui o INE.

No mercado francês (7,3% do total) registaram-se decréscimos de 3,2% em dezembro e de 2,7% em 2018 (+0,7% em 2017) – em 2018, este mercado apresentou uma quota de 9,4% (-0,1%) – e o mercado brasileiro (8% do total) cresceu 9,9% em dezembro e 9,4% em 2018 (+35,8% em 2017), tendo representado, no ano passado, 5,4% (+0,6%) das dormidas anuais de não residentes.

“Em dezembro, destacaram-se ainda os crescimentos registados pelos mercados canadiano (+29,4%), irlandês (+28,8%) e norte-americano (+17,9%). No total do ano de 2018, sobressaíram as evoluções dos mercados norte-americano (+19,9%) e canadiano (+16,7%), para além do brasileiro, já referido”, lê-se no site do INE.