Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Cabanas sustentáveis com vista para um vulcão na Islândia para atrair turistas aventureiros

O Studio Heima é especializado em design para a área do turismo, bem como no desenvolvimento de estratégias neste setor

Auaunn Níelsson via Studio Heima
Auaunn Níelsson via Studio Heima
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

Cercada por formações de lava, fontes termais e vulcões, Aska é a primeira de uma série de cabanas pré-fabricadas sustentáveis. Foram projetadas pelo Studio Heima, com o objetivo de povoar a paisagem natural ao redor do Lago Mývatn, próximo ao vulcão Hverfjall, e uma cratera com um quilómetro de largura e cerca de 140 metros de profundidade, redonda e quase simétrica, que surgiu depois de uma explosão que acontecer há nada menos mais que 4.500 anos. Ambos, o lago e o vulcão, são dois dos elementos mais impressionantes do chamado Diamond Circle, uma rota turística popular no norte da Islândia, na qual formações de lava, cascatas e grandes montanhas são outros dos protagonistas.

Como podemos imaginar, trata-se de uma área bastante inóspita a mais de seis horas da capital (contando, porém, que o tempo esteja bom), como evidenciado pelo facto de só podermos encontrar nesta área uma pequena cidade, chamada Reykjahlíð, que com apenas 300 habitantes é aquela que reúne os serviços essenciais para quem nela mora ou visita.

O estúdio dinamarquês-islandês é especializado em design para a área do turismo, bem como no desenvolvimento de estratégias neste setor. Portanto, são capazes de projetar e criar entendendo as idiossincrasias de cada local em que atuam. E, neste caso, essa linha foi mantida.

A habitação inspira-se e adapta-se à paisagem envolvente. Na verdade, o nome refere-se aos vulcões islandeses, onde cinzas e lava se espalham como um cobertor na paisagem. O desenho foi pensado para encaixar-se perfeitamente nestes terrenos.

Com 21 metros quadrados (m2), o seu interior é totalmente revestido a contraplacado de pinho claro, o que aumenta a sensação de luz, qualidade e calor. Para isso, foi utilizada a antiga técnica japonesa de shou sugi ban, em que a superfície do material é protegida pela carbonização da camada externa da madeira. Ao mesmo tempo, cria um bom contraste suave com o revestimento escuro do lado de fora.

No interior, a cabana inclui um quarto duplo, uma casa de banho privativa e uma cozinha aberta, da qual se tem acesso direto ao terraço através de uma grande porta de correr. O tamanho pequeno da casa é equilibrado por um pé-direito alto, de modo que o interior da cabine parece espaçoso e confortável. Móveis de design personalizado e soluções embutidas sob medida completam o espaço, enquanto uma grande janela na área da cozinha oferece vistas diretas do ambiente natural, incluindo o Lago Myvatn e o vulcão Hverfjall.