Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crédito à habitação: truques para conseguires os melhores spreads

Autor: Redação

Vais comprar casa e queres pedir um empréstimo ao banco? Boas notícias. As entidades bancárias estão agora, outra vez, mais recetivas a conceder crédito à habitação. Mas atenção, há truques para garantires que consegues baixar os valores dos spreads que te vão cobrar.

Apesar da boa notícia, a verdade é que os spreads praticados continuam a ser elevados, escreve o i. "Pese a tendência de descida verificada nos últimos meses, 3% foi o valor mais baixo conseguido para o cenário em que assegurávamos uma entrada de 20%. A excepção foi para o Santander Totta, que pratica um spread de 2,49% para a solução Select, mas implica domiciliar um vencimento líquido superior a 1500 euros (no caso de um titular) ou a 2500 euros (se forem dois titulares), valor ainda elevado para muitas famílias", diz a Deco, citada pelo jornal.

Usar as poupanças, por exemplo, pode fazer toda a diferença na obtenção de uma taxa mais atrativa. Já a contratação de produtos associados ao crédito, como cartão de crédito, seguros ou Plano Poupança Reforma (PPR), deixou de ser vantajosa para conseguir melhores condições no empréstimo.

"Quanto menor for a relação entre o financiamento e a garantia oferecida, menor será o risco do banco e, por consequência, o spread obtido", salienta a Deco acrescentando ainda que " outra solução poderá passar por adiar a sua decisão de compra até conseguir uma proposta abaixo dos 3%.

Os bancos estão também agora exigentes em termos de garantias exigidas, preocupando-se com o nível de rendimentos das famílias e também a sua estabilidade profissional.

Recorrer aos imóveis da banca poderá ser uma melhor oportunidade de negócio. Nestes casos, é possível obter spreads mais baixos e melhores condições de financiamento, como a isenção de algumas comissões.

De acordo com o i, se optares por este tipo de imóveis, "além de os spreads propostos serem mais baixos, o montante emprestado pode ir até 100% do valor do imóvel. É o caso do Novo Banco com spreads entre 1,5% e 2%, e do Montepio, entre 2 e 2,5%", diz a Deco.