Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

UCI Portugal securitiza crédito hipotecário residencial no valor de 385 milhões

Primeira operação deste tipo em Portugal desde 2008. Empresa diz que "é um sucesso" no atual contexto.

Photo by Louis Droege on Unsplash
Photo by Louis Droege on Unsplash
Autor: Redação

A UCI -  joint-venture participada em 50% pelo Grupo BNP Paribas e Banco Santander -colocou o seu primeiro fundo de securitização em Portugal com um montante de 385 milhões de euros sob a designação RMBS Green Belém 1. Com esta operação a Unión de Créditos Inmobiliarios EFC volta a abrir o mercado de Residential Mortgage Backed Securities (RMBS), nesta ocasião através da sucursal portuguesa. 

Trata-se assim da primeira securitização de crédito hipotecário residencial em Portugal desde 2008. O ativo do fundo é constituído por 385 milhões de euros de créditos hipotecários gerados entre 2009 e 2019 referentes a 4.000 famílias com um Current LTV (loan-to-value) de 60,6%. Os créditos desta operação estão concentrados em Lisboa (55,4%).

Philippe Laporte, COO da UCI, assinala que “ter alcançado um novo fundo de securitização num contexto tão desafiante como o atual e com a complexidade dos requisitos regulatórios, é um sucesso para a empresa”.

Desde 2015, quando reabriu o mercado de RMBS em Espanha através do programa Prado, a UCI emitiu mais de 2.000 milhões de euros em títulos de securitização da máxima qualidade. Da mesma forma que nas anteriores operações da entidade, esta operação inclui uma opção da UCI de cancelamento no final do quinto ano, duração inicialmente prevista da operação. 

"A primeira operação portuguesa da entidade financeira foi realizada de acordo com os principios de regulamentação STS (Simple, Transparent and Standardised). Além disso, trata-se do primeiro fundo da entidade que ostenta a certificação verde de Sustainalytics, revelador do compromiso da entidade em colaborar, através do financiamento na Peninsula Ibérica, na descarbonização do parque habitacional, na melhoria da eficiencia energática da habitação e num futuro mais sustentável", declara a UCI em comunicado.

As agências de rating, DBRS Ratings e Fitch Ratings, atribuiram à RMBS Green Belém 1 o máximo nivel possível em Portugal (AA high e AA respectivamente), para este tipo de operações, ie, 6 níveis acima do rating soberano de Portugal. Graças à excelente qualidade creditícia da Carteira da UCI Portugal e a uma eficiente estruturação, a operação alcançou um elevado nivel de cash-out (liquidez percebida) assim como baixos níveis de melhoria creditícia (15%).