Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Venderam-se 493 jaguares em Portugal em nove meses (quase dois por dia)

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

Sabes quantos jaguares se venderam em Portugal nos primeiros nove meses do ano? Quase 500, bem mais que os 205 vendidos no período homólogo, o que representa um aumento de 140,5%. Quer isto dizer que foram transacionados no país dois carros por dia da marca de luxo britânica.

Ao todo, entre janeiro e setembro deste ano, foram vendidos 183.529 automóveis ligeiros em Portugal, a que acrescem 3.555 pesados. Só em setembro, foram vendidos 17.445 carros, mais 11,9% que no mesmo mês do ano passado. “Apesar do crescimento que tem vindo a registar-se, o volume de vendas no mês de setembro está ainda abaixo dos valores registados antes da crise”, refere a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Segundo o Dinheiro Vivo, a crise parece estar a passar ao lado de algumas marcas de luxo. É o caso, como referido, da Jaguar, que em 2015 vendeu 205 carros, entre janeiro e setembro, e que este ano já negociou 493 veículos – em 2014, por exemplo, “só” vendeu 168 carros.

Por outro lado, as vendas da Lamborghini baixaram 75%, da Bentley 20% e da Ferrari 31,3%. A explicação está em novos modelos e preços mais concorrenciais.

Para a Jaguar, os bons resultados devem-se à chegada ao mercado das primeiras unidades do novo Jaguar F-Pace, o primeiro SUV da marca britânica. “Este modelo, que apresentámos na primavera, está a ser um extraordinário êxito em todos os mercados. Sendo um modelo e um segmento totalmente novo, todas as vendas são incrementais face aos números de 2015. Além disso, este aumento das vendas foi reforçado pelas berlinas Jaguar XF e XE que, pouco a pouco, vão consolidando a sua presença no mercado português”, explica a empresa.

No que diz respeito ao grosso do mercado, seis marcas detêm entre si uma quota de 50%: Renault, Peugeot, Volkswagen, Mercedes-Benz, BMW e Opel. Destas, só a Volkswagen é que perdeu, já que vendeu menos 108 carros (-0,8%) este ano face aos primeiros nove meses de 2015.