Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa entre as 10 cidades preferidas por trabalhadores estrangeiros para viver e trabalhar

As cidades do Sudeste Asiático assumem as primeiras posições do ranking mundial

Photo by Motoki Tonn on Unsplash
Photo by Motoki Tonn on Unsplash
Autor: Redação

Neste mundo cada vez mais global, as pessoas consideram muitas vezes mudar de sítio, para viver, por diferentes motivos. O portal InterNations publicou o ranking "As 30 melhores cidades para se mudar em 2020", com base num estudo que contou com a participação de cerca de 20.000 expatriados, estrangeiros que vivem e trabalham fora de seu país de origem. E as cidades desta lista são de vários pontos do globo, desde a Ásia à Europa, entre outros.

Apesar das dificuldades iniciais do idioma, cidades como Taipei, Kuala Lumpur ou Saigão são as preferidas, sendo que quem fala inglês pode sobreviver. As capitais do Sudeste Asiático ocupam as primeiras posições no ranking, sobretudo porque o custo de vida é acessível, embora a qualidade dos serviços médicos, a segurança ou as expectativas de emprego de um estrangeiro variem um pouco entre eles.

A primeira cidade da lista não asiática é Montreal (Canadá). O contrário acontece neste caso, Apesar das boas condições de trabalho, bons serviços médicos e segurança, o custo de vida é um pouco mais caro, ainda que nada a ver com cidades como Toronto ou Vancouver.

As primeiras cidades europeias são Lisboa e Barcelona (Espanha). As duas cidades ibéricas, embora cada uma com as suas próprias características, assemelham-se por uma boa vida social, estar perto da costa e aberta a estrangeiros. São bons destinos para o trabalho, com ótimo acesso a bons serviços médicos e segurança.

As cidades do norte da Europa, como Zug e Basileia (Suíça), Haia (Holanda) ou Aachen, Aachen (Alemanha), surgem depois.