Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Segurança Social perde trabalhadores: número de recrutados cai e saídas para a reforma disparam

Em 2020, as novas contratações reduziram-se 26%, face a 2019, e reformaram-se 255 trabalhadores, mais 38% que no período homólogo.

Photo by Maxime on Unsplash
Photo by Maxime on Unsplash
Autor: Redação

Em ano de pandemia, a Segurança Social (SS) viu o número de novos trabalhadores recrutados cair, ao mesmo tempo que as saídas para a aposentação dispararam. Pela primeira vez, em quatro anos, as contratações recuaram 26% (face a período homólogo), interrompendo-se o ciclo de recuperação dos quadros de pessoal.

De acordo com o balanço social do Instituto de Segurança Social (ISS), a que o DN/Dinheiro Vivo teve acesso, a SS chegou ao final de dezembro do ano passado com 8.188 trabalhadores contratados, face aos 8.196 que tinha a 1 de janeiro desse ano. Trata-se de uma quebra ligeira, mas que representa o primeiro ano, desde 2016, em que os quadros encolheram. Desde esse ano e até agora, a SS conseguiu recuperar 876 trabalhadores, apenas um décimo daqueles que perdeu na última década.

Em 2004, a SS tinha 15.932 trabalhadores, um número que foi diminuindo ao longo dos anos. Em 2015, já havia metos de metade: apenas 7.315 funcionários, o que quer dizer que se perderam 8.614 trabalhadores em 10 anos.

Apesar do ciclo de recuperação inicado em 2016, em ano de pandemia as novas contratações por concurso integraram apenas 404 funcionários, menos 26% que em 2019. Segundo o DN/Dinheiro Vivo, as aposentações também dispararam. Foram para a reforma 255 trabalhadores, mais 38% que em 2019.