Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Taxas dos certificados de poupança do Estado vão ser reduzidas pelo Governo

Autor: Redação

O Governo vai baixar as taxas dos instrumentos de dívida direcionados para as famílias, já no início de fevereiro. A redução das taxas de rentabilidade abrange os certificados de aforro (CA) e os Certificados do Tesouro Poupança Mais (CTPM). Estes produtos são, atualmente, mais interessantes do que os depósitos a prazo.

Em entrevista ao Diário Económico, a secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, clarifica que apenas as novas subscrições vão ser afetadas pela redução. Desta forma, as aplicações que já existem não sofrem.

Isabel Castelo Branco justifica a redução com “a alteração das condições de mercado”.

As taxas de rentabilidade dos CA e dos CTPM, são muito superiores às dos depósitos a prazo.

Nos CA, segundo escreve, por sua vez, o Público, a taxa bruta fixada para as subscrições a realizar em Janeiro, e a vigorar para o trimestre seguinte, é de 3,069%.

A taxa dos CA é composta por um prémio fixo de 2,75%, a manter-se em vigor até 31 de Dezembro de 2016, de acordo com o que estava estipulado na última revisão, a que acrescida do valor médio da Euribor a três meses, observada nos últimos 10 dias anteriores à fixação da taxa.

Nos CTPM, as taxas brutas fixadas vão evoluindo de 2,75% no primeiro ano para 5% no quarto e quinto ano de vigência da aplicação. A permanência até ao 5º ano pode garantir ainda um prémio suplementar em função da evolução do Produto Interno Bruto (PIB).

As taxas dos depósitos a prazo têm vido a descer a este movimento deverá continuar.

Contactado pelo PÚBLICO, o Ministério das Finanças recusou-se a prestar mais informações sobre as alterações em preparação.