Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Nova nota de 20 euros estreia-se hoje: como detetar se é falsa em três simples passos

Autor: Redação

A nova nota de 20 euros entra em circulação hoje, 25 de novembro, para ajudar a combater o aumento de falsificações e contrafacção que o Banco Central Europeu (BCE) detetou nos últimos tempos. Só no primeiro semestre de 2015 foram retiradas de circulação 454.000 notas de euro falsas, sendo que 86% das quais eram de 20 e 50 euros. Também esta nota irá ser substituída, ainda em data a definir.

Em Portugal, a nova nota de 20 euros será colocada em circulação pelo Banco de Portugal, através dos balcões das instituições bancárias e de máquinas de distribuição de notas. E a nova nota irá coexistir com a série anterior, não sendo necessário efectuar trocas. 

No entanto, quem, ainda assim, pretenda fazê-lo, deverá dirigir-se ao balcão de um banco ou a uma tesouraria do Banco de Portugal. Ninguém está mandatado para recolher notas em nome do Banco de Portugal ou de qualquer instituição bancária.

Como são as novas notas?

Além de introduzirem novas medidas de segurança para “levar a melhor” sobre os falsificadores, as novas notas de 20 euros mudaram ligeiramente o seu design, de forma a ter em conta os países que integraram a União Europeia (UE) desde 2002 – como Malta e Chipre. Mas mantêm as mesmas cores dominantes.

A nova séria mostra uma imagem da Europa, personagem da mitologia grega que dá nome ao nosso continente. O retrato utilizado para este design foi conseguido tendo por base um vaso de mais de 2.000 anos encontrado no sul de Itália e conservado no Museu do Louvre de Paris, em França.

Como saber se as notas são falsas

1 – Tocar: a impressão é em relevo   

2 – Observar: há uma marca de água com retrato e uma janela com retrato

3 – Inclinar: há um número esmeralda e holograma com retrato e uma janela com retrato

O que faço se detetar uma nota falsa?

Se manejas grandes quantidades de dinheiro habitualmente, é possível que em algum momento encontres uma nota suspeita. Prova o método "tocar; olhar; girar" e se não passa os três pontos é provável que seja falsa e não deverias aceitá-la.

Se já te "impingiram" uma nota que suspeitas ser falsa, compara-a diretamente com uma que saibas que é autêntica. Se a tua suspeita se confirmar, dirige-te à polícia ou, nos casos em que a prática nacional o permita, ao banco central nacional correspondente.

Se tens dúvidas sobre uma nota, o BCE aconselha:

- dizer ao cliente que precisas de falar um momento com o teu superior ou um responsável da segurança, garantindo que a nota permanece sempre à vista do cliente.

- reter mentalmente o aspeto físico do cliente.

- entreter o cliente.

- avisar a Polícia

- anotar a matrícula, a marca e o modelo do seu carro (se tiver)

- entregar a nota suspeita ao teu superior ou a um encarregado de segurança o quanto antes para que o façam chegar à polícia.

- velar pela própria segurança a todo o momento.

E o BCE desaconselha:

- discutir com o cliente

- impedí-lo que abandone o lugar, inclusivamente se lhe pediste que espere pela polícia.

- devolver a nota ao cliente, sempre que seja possível.