Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Subsídio de Natal: Dicas para (bem) aplicar o dinheiro

rawpixel/Unsplash
rawpixel/Unsplash
Autor: Redação

E eis que é o mês de receber o tão aguardado subsídio de Natal, um rendimento “extra” que vem dar folga ao orçamento familiar. A maioria dos portugueses utiliza este montante para fazer compras ou até mesmo liquidar despesas anuais, como o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), por exemplo. Mas a verdade é que existem outras soluções para aplicar e fazer render o dinheiro do subsídio. Toma nota destas dicas.

Há várias formas de tirar partido deste dinheiro extra, e que podem trazer vantagens a médio e longo prazo: poupar ou até mesmo investir. A plataforma ComparaJá.pt reuniu um conjunto de dicas, que agora te mostramos.

  • Liquidar dívidas – Segundo a plataforma, este rendimento extra pode ser utilizado, por exemplo, “para amortizar dívidas de um crédito pessoal ou de um cartão de crédito, de forma a não entrar numa espiral de endividamento".
  • Reforçar o fundo de emergência - "Ditam as boas regras das finanças pessoais que deves possuir um fundo de emergência composto por um montante correspondente a, pelo menos, seis meses de despesas fixas ou três meses de rendimento”, relembra, acrescentando que uma das primeiras coisas a fazer será colocar dinheiro neste fundo.
  • Depósitos a prazo - Os depósitos a prazo são a forma de poupança preferida dos portugueses, uma vez que têm poucos riscos associados. Podem ser, por isso, um “bom primeiro passo” para quem está a começar agora uma poupança.
  • Poupar para a reforma - "Apesar dos PPR (Planos Poupança Reforma) serem produtos que a maior parte dos portugueses conhece, nos últimos anos perderam alguns dos benefícios fiscais associados, o que os tornaram menos apetecíveis”, recorda a plataforma, sublinhando, contudo, que esta também poderá ser uma boa solução de investimento.
  • Amortizar crédito – No caso de teres um spread muito baixo, amortizar um crédito à habitação pode não ser a melhor solução. Mas se tiveres um empréstimo com taxa variável e a Euribor subir, “pode acontecer que amortizar o crédito seja uma hipótese a considerar”. Ainda assim é importante fazer bem as contas antes de decidir amortizar o crédito, uma vez que estes têm comissões de amortização antecipada e poderão não ser benéficas.