Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

IMI: Pedir uma avaliação da casa às Finanças compensa. Mas quanto?

Deco Proteste tem um simulador que aponta poupanças médias superiores a 90 euros. Se contribuintes fizerem pedido às Finanças até fim do ano, conseguem poupar no IMI de 2020.

Photo by Iryna Tysiak on Unsplash
Photo by Iryna Tysiak on Unsplash
Autor: Redação

O IMI - Imposto Municipal sobre Imóveis é uma das certezas na vida dos proprietários. Todos os anos, chega a fatura para pagar às Finanças, de uma vez só ou em prestações, e não há forma de escapar. O que se pode fazer sim é reduzir este encargo, defende a Deco Proteste, aconselhando para isso os contribuintes a solicitarem uma avaliação dos imóveis às Finanças. E se este pedido for feito até ao fim do ano, a poupança vai refletir-se já no IMI a pagar em 2020. Quanto se consegue poupar afinal? Há um simulador que faz os cálculos.

A média das poupanças reveladas pelo simulador da Deco Proteste, feita a partir das contas feitas de 26 mil portugueses que usaram o www.paguemenosimi.pt, é de 78 euros a nível nacional. Mas as reduções conseguidas com as novas avaliações das casas para efeitos do IMI variam consoante as regiões do país. 

A poupança média mais elevada ocorre no distrito de Faro (90 euros), seguido dos distritos de Setúbal, Vila Real, Santarém, e ainda o arquipélago dos Açores, com poupanças acima dos 80 euros. Em Lisboa, a poupança média é de 80 euros, enquanto no Porto é de 79 euros. O distrito onde a poupança é menor é Bragança (55 euros).

Dentro do universo de portugueses que utilizaram o simulador desde o início do ano, “sete em cada 10 confirmaram que estão a pagar imposto a mais”, revela a Deco Proteste em comunicado, recordando que o preço do metro quadrado aumentou a 1 de janeiro de 2019, de 603 euros para 615 euros.

“No entanto, as Finanças não atualizaram esta parcela (que influencia o cálculo de IMI) em todos os imóveis”, nota, destacando que "o simulador foi atualizado para que os contribuintes possam confirmar se estão a pagar o valor justo de IMI".