Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ellis Short, o magnata do imobiliário que tem agora 2.000 milhões para investir "de preferência" em Portugal

Sky Sport
Sky Sport
Autor: Redação

O antigo vice-chairman da Lone Star, Ellis Short, é um personagem bem conhecido na indústria internacional de investimento imobiliário, ainda com maior visibilidade desde que é proprietário do clube de futebol inglês Sunderland. Agora, Portugal entrou nos seus radares e é um "destino preferencial" do novo fundo de private equity que acaba de criar, através da sua sociedade Kildare, para investir na compra de carteiras de dívida e de ativos imobiliários em dificuldades que estão na posse da banca na Europa.

A informação foi avançada pelo próprio empresário, numa entrevista ao Financial Times, confirmando que a Kildare está a seguir os passos de gigantes norte-americanos como a Lone Star, a Blackstone ou a Oaktree Capital, que nos últimos anos têm vindo a captar elevados volumes de capital para investir no imobiliário europeu.

De acordo com o diário financeiro britânico, com 2.000 milhões de euros para investir nos próximos três anos, este será o maior fundo do género a ser criado na Europa este ano, destacando-se não só pelo elevado valor do capital levantado como também pela velocidade com que concluiu o processo de captação de fundos, com três meses de avanço face ao último fundo lançado pelo gestor, o Kildare European Partners, em 2014.

Além de reunir todos os investidores que apostaram neste último fundo, o novo veículo agora lançado por Ellis Short conta ainda com dez novos participantes, entre os quais se incluem o Texas Permanent School Fund e o New Mexico Educational Retirement Board.

Maior fundo da Europa

Dirigido exclusivamente ao mercado europeu, este fundo irá focar-se sobretudo nos mercados do Reino Unido, Alemanha, Holanda, Itália e Portugal, sendo o nosso país particularmente interessante para o gestor, sublinhou Ellis Short.

Focado especificamente nos dois países sul-europeus no seu radar, o gestor reconhece ainda que mais do que a sua dimensão – uma limitação mais patente no caso de Portugal - "é também difícil comprar naqueles mercados devido ao facto de os credores terem direitos enfraquecidos. É por isso que aqui estamos focados em transações imobiliárias em detrimento das operações de compra de dívida".

De acordo com o site da Kildare Partners,  Ana Tavares – que conta no seu currículo com passagens na JP Morgan, Deutsche Bank e Merril Lynch – será a responsável pelo investimento no nosso país.