Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Quântico/Albatross compra edifício do Café Embaixador no Porto e procura novos ativos

Google Maps
Google Maps
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

A sociedade imobiliária Quântico SA, em parceria com os espanhóis da Albatross, comprou o edifício do Café Embaixador, na Baixa do Porto, que será transformado num projeto de habitação de qualidade. Recentemente, as duas sociedades anunciaram a aquisição do palacete Montevideu, na Foz, um emblemático imóvel na primeira linha de mar que vai ser reabilitado para habitação de luxo. Os dois imóveis fazem parte do portfólio do Vesta Real Estate Fund, que - segundo a Quântico - ainda não está completo, sendo previsível que, em breve, surjam novas aquisições.

Graça Medina, administradora da Quântico, confirmou ao idealista/news a aquisição do prédio onde está localizado o Café Embaixador, na Rua Sampaio Bruno, e a sua transformação num projeto residencial de qualidade. A reabilitação do imóvel vai permitir a construção de 18 apartamentos T1, destinados a um segmento alto de clientes. 

E, de acordo com a responsável, a Quântico/Albatross “continua à procura de ativos para investir, tanto no Porto como em Lisboa, não só para completar o mandato de investimento do fundo, como também para começar um novo ciclo de aposta em projetos de promoção de maior envergadura destinados ao mercado doméstico”.

Café Embaixador não está incluído na aquisição

A recente aquisição da Quântico/Albatross diz respeito ao piso 1 a 4, ficando excluído o piso de R/Chão, onde funciona o conhecido Café Embaixador, que pertence a outros proprietários.

A aquisição diz respeito a “três frações, que correspondem aos pisos 1 a 4 desse prédio, e tem um projeto aprovado para a construção de 18 apartamentos que apontamos serem T1’s”, precisa Graça Medina.

Neste momento, segundo a responsável, ainda não há dados definidos sobre os valores finais de venda, destacando, porém, que “os preços projetados estarão assim em linha com os praticados para este perfil de investidor”. 

As áreas médias dos apartamentos vão rondar os 60 a 75 m2, já a área bruta total de construção do edifício é da ordem dos 1500 m2. 

A venda do imóvel à sociedade de investidores foi intermediada pela Predibisa. Foi também esta a consultora que concretizou a operação de venda do edifício Montevideu.

Entrada do edifício fica na Praça da Liberdade

O prédio que mantém a fachada bem conservada, embora o interior se encontre bastante degradado, desenvolve-se na Rua Sampaio Bruno, de 1 a 13. Contudo, apresenta a particularidade de a entrada ser feita pela Praça da Liberdade 119, junto ao edifício sede do BBVA. 

Refira-se que a Praça da Liberdade - que se desenvolve a seguir à Avenida dos Aliados e termina com o edifício do hotel Intercontinental -, é uma das zonas da baixa da cidade onde se concentra maior atividade turística, permitindo que a maioria dos edifícios na sua envolvente estejam a ser remodelados para habitação, hotelaria e comércio.

Embaixador estava sediado na casa bancária Pinto Leite

O Café Embaixador, qua “abriu as portas ao público pela primeira vez decorria o ano de 1957, apresenta a particularidade de se encontrar sediado num edifício anteriormente ocupado por uma casa bancária de nome Pinto Leite”, destaca o seu website. 

Acrescenta, ainda, que “seria um dos pouquíssimos cafés a contrariar a tendência natural da época de transformar cafés emblemáticos em grandes bancos”. 

Decorado num estilo Art Déco, o Café Embaixador viria a sofrer grandes remodelações ao longo dos anos.

Contudo, em seu favor esteve o facto de ser um estabelecimento que teve poucos proprietários. “Foi, inicialmente, propriedade da família Magalhães e Ferraro, mais tarde dos irmãos Brandões e Alves e, recentemente de três sócios de nome de Elias Jorge, José Lino e José Perestrelo”, que assumiram a gestão no ano de 2003. Pode ler-se história publicada na página da internet.  

Inegável é o facto de ser um dos cafés do Porto mais conhecidos e frequentado por turistas.