Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboetas lançam movimento contra torre polémica da Portugália

Facebook Stop Torre 60m Portugália
Facebook Stop Torre 60m Portugália
Autor: Redação

O projeto Portugália Plaza, que contempla a construção de uma torre de 60 metros com 16 andares, continua a gerar polémica. E desta vez são as vozes dos moradores lisboetas a revelar-se contra o arranha-céus, que ainda não “saiu do papel”. Um grupo de cidadãos lançou um movimento que pretende travar a construção da torre, um “erro histórico” e que “descaracteriza a identidade da Avenida Almirante Reis e dos bairros circundantes”.

O megraempreendimento prevê a construção de quatro prédios novos e a reabilitação antigo edifício da Fábrica da Cerveja e do famoso restaurante. Um dos edifícios está no centro da polémica, nomeadamente a torre com 60 metros e 16 andares, da autoria da empresa ARX Portugal Arquitetos, segundo o processo de licenciamento já publicado na Câmara Municipal de Lisboa (CML).

O movimento “Stop Torre 60m Portugália” considera que a futura estrutura “descaracteriza e fere a identidade arquitetónica dos bairros envolventes” e “constitui uma agressiva interferência no sistema de vistas da cidade, nomeadamente nos miradouros da Penha de França, do Monte Agudo e do miradouro do futuro Jardim do Caracol da Penha”, lê-se no comunicado publicado na página de Facebook do movimento.

Segundo os moradores, a construção da torre irá criar “uma violenta área de sombras sobre as ruas e sobre as casas circundantes, acarretando um decréscimo na qualidade de vida dos moradores e dos visitantes naquela área da cidade”.