Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Vistos gold a perder o brilho: investimento captado cai à volta de 30%

Os investidores chineses lideram a atribuição de vistos gold em Portugal. / Photo by Ewan Yap on Unsplash
Os investidores chineses lideram a atribuição de vistos gold em Portugal. / Photo by Ewan Yap on Unsplash
Autor: Redação

O investimento gerado a partir das Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (ARI) totalizou 50.056.278,40 euros em maio passado, o que corresponde a uma descida de 32% face aos 73,6 milhões de euros registados em igual mês de 2018. O imobiliário continua a ser o principal motor deste programa, habitualmente designado no mercado como "vistos gold".

Do total de investimento angariado em maio, 42.586.300,4 euros correspondeu à atribuição de vistos gold mediante o critério da aquisição de bens imóveis, enquanto os restantes 7.469.977,86 euros são provenientes do requisito da transferência de capitais, tal como mostram os dados mais recentes do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), citados pela Lusa.

No mês passado foram atribuídos 82 vistos gold, dos quais 74 resultantes da compra de bens imóveis e oito por via da transferência de capital. E do total de vistos concedidos com a compra de imóveis, seis foram atribuídos no âmbito da aquisição tendo em vista a reabilitação urbana.

Nos cinco primeiros meses do ano, o investimento acumulado atingiu 299,2 milhões de euros, menos 30% que um ano antes, aponta a agência de notícias.

Imobiliário é o principal motor do programa 

Em mais de seis anos e meio - o programa ARI foi lançado em outubro de 2012 -, o investimento acumulado até maio totalizou 4.549.001.234,26 euros, com a aquisição de imóveis a somar 4.115.648.863,83 euros e a via da transferência de capital a somar mais de 433.352.370,26 euros.

Até maio passado, em termos acumulados, foram atribuídos 7.042 vistos ‘gold’ por via da compra de imóveis, dos quais 318 tendo em vista a reabilitação urbana.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.246), seguida do Brasil (740), Turquia (341), África do Sul (296) e Rússia (260).