Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário recua em dezembro para 10,5 mil milhões

Já tinha recuado em novembro, face ao mês anterior, segundo dados da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Autor: Redação

Em dezembro de 2019, o valor sob gestão dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII), dos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII) e dos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.511,3 milhões de euros, menos 399,6 milhões (3,7%) que no mês anterior. 

O montante investido nos FII caiu 4,7% para 7.675,9 milhões de euros enquanto nos FEII recuou 0,97% para 2.445,8 milhões de euros, refere a Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Já o valor investido nos FUNGEPI subiu 0,1% para 389,5 milhões de euros.

“No período em análise, os países da União Europeia (UE) foram o destino da totalidade do investimento feito em ativos imobiliários, tendo 46,4% da carteira dos FII e FEII abertos sido aplicados em imóveis do setor dos serviços. Os investimentos realizados pelos FUNGEPI destinaram-se sobretudo ao setor do comércio (65,3% do total)”, lê-se na nota divulgada pelo regulador.

De referir ainda que a Interfundos (12,9%), a Square AM (11,3%) e a Norfin (9,6%) detinham, no último mês do ano passado, as quotas de mercado mais elevadas.

“Em dezembro foi constituída a sociedade de investimento imobiliário ‘Roots and Cliffs – SICAFI’, gerida pela LYNX. No mesmo mês foram liquidados o FEII fechado ‘Imoprojecto’, gerido pela Selecta, e o FII ‘Vision Escritórios’, gerido pela Norfin. Ainda em dezembro houve a transferência de gestão do ‘Lucasfin – FEII Fechado’, da Norfin para a GEF”, conclui a CMVM.