Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

CMVM

Últimas notícias sobre "CMVM" publicadas em idealista.pt/news

Pandemia forçou fundos a vender ativos para reforçar níveis de liquidez

Os fundos foram forçados, na sequência da pandemia da Covid-19, a recorrer a mecanismos como a venda de ativos para reforçar os níveis de liquidez para satisfazer eventuais pedidos de resgate. Segundo a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), nenhuma gestora suspendeu resgates, mas chegou a colocar-se a hipótese dos fundos, a dado momento, não terem dinheiro para os pagar. Os fundos registaram, em março de 2020, pedidos de saída próximos de 600 milhões de euros. 

Notícia sobre:

Fundos de investimento imobiliário fecham 2020 em alta

Em dezembro de 2020, o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário (FII), dos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII) e dos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.583,6 milhões de euros, mais 159 milhões (1,52%) que no mês anterior, segundo a Comissão do Mercado de valores Mobiliários (CMVM).

Notícia sobre:

Mota-Engil ganha obra de 1,48 mil milhões na Nigéria – maior contrato de sempre da construtora

A Mota-Engil ganhou uma obra de 1,82 mil milhões de dólares (1,48 mil milhões de euros) na Nigéria, sendo este o maior contrato de sempre da construtora portuguesa, anunciou a empresa numa nota publicada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta segunda-feira (11 de janeiro de 2021). Em causa está a construção de uma linha férrea.

Notícia sobre:

Valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário volta a cair em outubro

Em outubro de 2020, o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário (FII), dos fundos especiais de investimento imobiliário (FEII) e dos fundos de gestão de património imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.356,9 milhões de euros, menos 61,2 milhões (0,59%) do que em setembro, revela a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Notícia sobre:

Avaliações imobiliárias caíram, mas em setembro voltou-se ao período pré-pandemia

Os peritos avaliadores de imóveis “continuaram a realizar avaliações imobiliárias durante a pandemia da Covid-19”, tendo-se verificado, no entanto, “um ‘crash’ muito acentuado durante o estado de emergência”, revelou esta sexta-feira (6 de novembro de 2020) Paulo Barros Trindade, presidente da direção Associação Profissional das Sociedades de Avaliação (ASAVAL). “Entre março e junho houve uma quebra de cerca de 35% no número de avaliações, mas em setembro esse número já está quase idêntico ao verificado no período pré-pandemia”, acrescentou.

Notícia sobre:

Há um novo fundo de investimento imobiliário aberto: é possível investir a partir de 100 euros

O Banco Best e a Square Asset Management (AM) lançaram um novo fundo de investimento imobiliário aberto a clientes individuais. O Property Core Real Estate Fund destina-se a “clientes que procuram aumentar a diversificação das suas carteiras, aproveitando a oportunidade de investir no mercado imobiliário”, refere o Banco Best em comunicado, acrescentando que o fundo está disponível para investimentos a partir de 100 euros, tendo um horizonte temporal recomendado de cinco anos.

Notícia sobre:

Valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário em queda: recua 39,9 milhões em julho

Em julho de 2020, o valor sob gestão dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII), dos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII) e dos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.395,2 milhões de euros, menos 39,9 milhões (0,38%) que em junho. Uma queda, de resto, superior à verificada em junho face a maio (0,08%). Em causa estão dados divulgados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Notícia sobre:

Valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário recua em junho para 10.434,7 milhões

Em junho de 2020, o valor sob gestão dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII), dos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII) e dos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.434,7 milhões de euros, menos 8,1 milhões (0,08%) que em maio. Em causa estão dados divulgados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Notícia sobre: