Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lone Star quer avançar com megaprojeto de 650 milhões em Vilamoura

Cidade Lacustre é apontada como a "peça central" do masterplan do empreendimento algarvio e visa atrair mais investimento.

Flickr
Flickr
Autor: Redação

A Lone Star, proprietária de Vilamoura, pretende avançar, em plena pandemia, com a ‘cereja em cima do bolo’ do masterplan do empreendimento algarvio - a Cidade Lacustre. O projeto, que estava em suspenso há vários anos, na versão atual soma investimentos de 650 milhões de euros, prevê 800 novos empregos na fase de construção e 500 na de operação e caracteriza-se por uma menor densidade de construção e mais espaços naturais. Está agora na reta final para ter ‘luz verde’ da CCDR-Algarve.

“A Cidade Lacustre é a peça central que vai efetivamente completar o projeto de Vilamoura e tirar a pressão que existe sobre a marina”, disse Rob Jenner, o novo CEO da Vilamoura World ao Expresso, frisando que o objetivo é “criar uma zona nova, com baixa densidade de construção, a fazer a conexão entre a marina e o centro urbano com o resto de Vilamoura. Tal como era originalmente previsto, vai ser um grande projeto para Portugal e para atrair investimento ao Algarve”.

O projeto é uma versão melhorada do Vilamoura Lakes, que a Lone Star tinha apresentado em 2015, em que foi reduzida a área de construção e dos lagos e incorporando um conjunto de alterações, na sequência do crivo de aprovações de que foi alvo.

“Em princípio, teremos a decisão este verão e, assumindo que é aprovado, os nossos trabalhos começam já no próximo ano”, adianta Rob Jenner, referindo que “a ideia é criar uma ilha central de entretenimento, com casas à volta dos lagos”, e que “a nova versão do projeto envolve fazer lagos de água salgada, para não haver mosquitos, e que será bombeada do mar”.

Qual é o papel dos donos do Novo Banco em Vilamoura?

O ambiente é uma das principais bandeiras do projeto da Cidade Lacustre, que “vai ter energia renovável, reutilização de água e uma construção integrada em que se vai usar por exemplo cimento inteligente, mas isto é apenas parte do meu sonho em Vilamoura, que é construir um projeto inteiramente sustentável, e este é um projeto de longo prazo”, aponta Rob Jenner, que se afirma empenhado em vir a “fazer investimentos no armazenamento de água potável, para quando uma inevitabilidade chegar podermos estar preparados”.

“Nós somos o masterplanner, os guardiões da forma como Vilamoura é desenvolvida. Vendemos lotes de terra, e são os particulares que constroem. A nossa missão é zelar para que o ambiente de investimento seja seguro, sustentável e aceitável pela comunidade”, explicita, frisando que o facto de a Lone Star ser dona do Novo Banco em nada interfere com os desenvolvimentos no Algarve.

“O fundo da Lone Star que detém Vilamoura é completamente diferente do que detém o Novo Banco. Há uma política clara de separação de interesses, e nós não temos nada a ver com o Novo Banco, nem sequer podemos pedir empréstimos, o nosso parceiro bancário é o Santander", indica.