Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Câmara de Gaia avança com novo edifício de serviços através de fundo imobiliário fechado

Construção e promoção é feito através de uma parceria com entidades privadas, ficando a autarquia a pagar uma renda mensal.

Novo edifício municipal fica ao lado do Centro Cultural e de Congressos (na imagem), desenhado por Souto Moura.  / Câmara Municipal de Gaia
Novo edifício municipal fica ao lado do Centro Cultural e de Congressos (na imagem), desenhado por Souto Moura. / Câmara Municipal de Gaia
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia vai avançar com a construção de um novo edifício de serviços, que permitirá concentrar os serviços dispersos pela cidade. A promoção do imóvel - que terá cerca de 8.000 metros quadrados (m2) de área e tem como objetivo melhorar a eficácia e a eficiência no atendimento aos munícipes – é feita através da criação de um fundo imobiliário fechado, com entidades privadas, ficando a autarquia a pagar uma renda mensal.

Fonte da autarquia de Gaia adiantou ao idealista/news que, “na última reunião de Câmara de 10 de agosto, foi aprovada uma permuta de terrenos, ficando a autarquia, através do Fundo Imobiliário Fechado, dona do terreno do gaveto da General Torres com a 20 de junho e um outro proprietário com um terreno na rua Álvares Cabral”.

Localizado no Centro Cívico da cidade, o novo espaço ficará instalado junto de outros edifícios públicos, da Assembleia e Câmara Municipal, e ao lado do futuro Centro Cultural e de Congressos, um projeto promovido em parceria pela autarquia e um consórcio de investidores privados, o grupo Skyline.

Fundo constrói e câmara paga renda

A mesma fonte municipal explica que “o fundo constrói e a câmara paga ao fundo por via da renda”, detalhando que "o proprietário do terreno, que interessa à autarquia para instalar o edifício de serviços, queria uma capacidade construtiva que não era possível naquele local, mas é possível no terreno permutado”.

Segundo esta fonte, esta “é uma obra pensada na lógica de planeamento do miolo da cidade, enquadrando [o edifício de serviços] no espaço onde vai surgir o centro de congressos, onde está já o edifício da Assembleia Municipal, e junto à praça renovada que agora fica nas traseiras da Câmara”.

O edifício ficará localizado entre as ruas General Torres e a 20 de junho e está a ser desenvolvido para resolver “alguns problemas, uma vez que temos os serviços espalhados pela cidade”, adianta a mesma fonte.

Centro Cultural e de Congressos com projeto de Souto Moura

Câmara Municipal de Gaia
Câmara Municipal de Gaia

Localizado ao lado do novo edifício de serviços vai ficar o Centro Cultural e de Congressos, apresentado em maio e que tem como projetista o premiado arquiteto Souto Moura.

“Foi assumida a prioridade de construção do novo Centro Cultural e de Congressos de Vila Nova de Gaia, criando um polo cultural, económico e turístico, capaz de promover a diversificação de atividades e novas lógicas de atratividade do concelho e da região”, destaca ao idealista/news, a autarquia.

A mesma fonte frisa que esta “é uma opção estratégica que visa garantir a presença do concelho de Gaia no mapa da atratividade económica, académica e empresarial”.

A projeto do centro de congressos foi apresentado a 17 de maio de 2019, altura em que foi assinado um protocolo entre a câmara municipal de Gaia e o grupo Skyline. “O modelo de execução deste espaço foi aprovado em reunião de câmara, de 18 de maio de 2020, num modelo de peri-equação de uma unidade de execução urbanística, com capacidade construtiva para compensar a construção do centro de congressos, sem custos financeiros para o município”, acrescenta a mesma fonte.

Conjunto de equipamentos relevantes para o concelho

A autarquia gaiense tem atualmente um significativo conjunto de equipamentos em fase de desenvolvimento no concelho, cujas informações detalhadas foram dadas a conhecer ao idealista/news. É o caso da expansão da linha do Metro, a Linha Amarela, que viu celebrados recentemente os contratos para as obras de alargamento, entre Santo Ovídio e a urbanização de Vila d'Este.

Câmara Municipal de Gaia
Câmara Municipal de Gaia

A nova fase da expansão do Metro do Porto inclui ainda uma nova e estruturante ligação das Devesas, em Gaia, ao Campo Alegre, no Porto, através da via VL8, com uma ponte dedicada, alavancando a mobilidade sustentável e valorizando essa zona do território.

Ao mesmo tempo esta linha, segundo a autarquia, criará uma ligação das Devesas a Santo Ovídio, permitindo derivar a linha amarela para uma ligação direta à Boavista, fundamental para uma verdadeira rede urbana de transportes públicos. “Está em preparação o lançamento do concurso internacional de ideias para a ponte sobre o rio Douro dedicada a esta nova linha, assim demonstrando a vontade de concretização da mesma”, indica ainda a mesma fonte.

Nova ponte no Douro e museu na Cerâmica das Devesas

A construção da Ponte D. António Francisco dos Santos - designação que se destina a homenagear o Bispo do Porto, que morreu de forma prematura (1948-2017) -, entre a marginal do Porto e o Cais do Areinho de Gaia, é mais um exemplo de “um projeto estruturante, capaz de redesenhar a malha urbana da zona e de abrir esse território a novos desafios”.

Contudo, a autarquia destaca também a aquisição do terreno da Fábrica de Cerâmica e Fundição das Devesas, com uma área de 13.500 m2, cujo objetivo passa pela criação de um novo polo de desenvolvimento cultural, de lazer e fruição pública.

“Esta decisão justifica-se pela criação de um novo polo de desenvolvimento cultural, de lazer e fruição pública. Implica a construção de um Museu da Cidade, com enfoque nas questões ambientais, complementar da atratividade turística, cultural e patrimonial (cerca de 30% da capacidade construtiva), com sala de conferências e zona pública de lazer”, destaca a fonte da autarquia.

“Esta proposta foi visada pelo Tribunal de Contas a 4 de junho de 2018. O concurso público internacional de conceção foi lançado em maio de 2020”, destaca.