Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Caso GES: Herdade do Vale Feitoso vendida a sociedade espanhola por 20,7 milhões de euros

Transação já conta com o parecer positivo do Ministério Público e do Tribunal do Fundão.

Imagem de bertvthul por Pixabay
Imagem de bertvthul por Pixabay
Autor: Redação

A Herdade do Vale Feitoso, que pertencia ao universo do Grupo Espírito Santo (GES), foi leiloada pelo valor base de 24 milhões de euros, mas acabou por ser vendida por um valor inferior - 20,7 milhões de euros, a proposta mais alta em cima da mesa, que foi apresentada pela sociedade espanhola Vestein Spain. A transação já conta com o parecer positivo do Ministério Público (MP) e do Tribunal do Fundão.

Esta corrida, que se realizou dia 23 de fevereiro, contou também com propostas apresentadas pela portuguesa Floponor e pela chinesa Glaciarpower. Mas o lance mais alto apostado pela primeira não foi além dos 20,2 milhões de euros e o da segunda dos 20,6 milhões. Ganhou, assim, a espanhola Vestein com o valor mais alto colocado em cima da mesa, mas inferior ao fixado no início do leilão, motivo pelo qual a aquisição do imóvel ficou pendente de aprovação por parte do credor hipotecário – o Novo Banco – e do Ministério Público.

Agora, já está tudo apostos para que a sociedade espanhola possa adjudicar a herdade, já que depois do Novo Banco ter dado luz verde à operação, o MP também já aprovou o seu seguimento, revela o Jornal de Negócios. O Tribunal do Fundão também já autorizou a escritura de compra e venda do ativo, que deverá ser realizada nas próximas semanas.

A história da herdade

A Herdade do Vale Feitoso possui 7.300 hectares e, destes, 1.200 estão reservados a caça turística. É considerada uma das maiores propriedades privadas em território nacional e foi o local onde a família Salgado realizou festas e grandes caçadas no período reservado à designada caça grossa, que envolve veados, gamos e javalis.

Foi em 2004 que a família Salgado comprarou esta herdade situada no distrito de Castelo Branco e fê-lo através de uma sociedade inserida no universo GES - a Companhia Agrícola de Penha Garcia. Com o colapso do GES, o Novo Banco hipotecou a herdade e, em 2017, a sociedade que a detinha foi declarada insolvente.

Desde 2018, a massa insolvente promoveu vários leilões para vender a herdade mesmo por valores em baixa – cerca de 36,4 milhões num primeiro momento. Este valor foi baixando de ano para ano de leilão para leilão até que agora a herdade conhece um novo dono – a Vestein Spain, sociedade da gestora espanhola de investimentos imobiliário Tenigla.

Hoje, este património está quase ao abandono, sendo apenas gerido por alguns funcionários que fazem a manutenção do espaço.