Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Apps há muitas, mas algumas nunca devem ser instaladas no smartphone...

Yura Fresh/Unsplash
Yura Fresh/Unsplash
Autor: Redação

Há cada vez mais portugueses a aceder à internet através do telemóvel. A verdade é que atualmente com um smartphone faz-se tudo, ou quase tudo. Há aplicações – as famosas apps – para todos os gostos e feitos, mas nem todas são úteis. Algumas devem mesmo ser “riscadas”, já que podem trazer problemas para a vida útil do equipamento.

Estes são, segundo o DN Insider, quatro tipo de apps que nunca devem instaladas. Prometem algo que não podem cumprir ou então não consideram as versões mais atualizadas dos sistemas operativos:

Apps para poupar bateria

Se queres poupar bateria, opta por racionar o consumo ou mudar a configuração do próprio telefone, que permite um modo que consome menos energia. Desconfia sempre das apps que prometem oferecer mais do que é razoável, escreve a publicação, salientando que há muitas que infetam o aparelho com malware (vê-se mais no sistema Android). É pouco provável que uma app ofereça mais que o próprio fabricante permite a nível e poupança de bateria.

Apps de poupança “milagrosa” de rendimento

As apps fraudulentas podem prometer outras funções, como poupar bateria. Podem, por exemplo, fechar apps abertas que não usamos, com o argumento de que por estarem em segundo plano gastam bateria. Mas podes prejudicar o rendimento do terminal quando tens uma app que se dedica a fechar apps abertas.

Apps que “limpam” o telemóvel

As formas mais eficazes de poupar bateria e melhorar o desempenho do telemóvel são manuais. Há apps que garantem que limpam a memória cache ou a memória RAM, mas na maioria dos casos só prometem resultados concretos se alguém pagar a versão premium.

Apps para “refrescar”

Existem apps que asseguram que, em dias de calor, conseguem gerar menos calor nos processos do smartphone, o que não é verdade. Também não vale a pena colocar o smartphone no congelador... O melhor é tê-lo à sombra e esperar que arrefeça, até porque não há soluções mágicas.