Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Apps

Últimas notícias sobre "Apps" publicadas em idealista.pt/news

Fundo imobiliário suíço Stoneweg investe 100 milhões em armazéns da Glovo - incluindo Portugal

O fundo imobiliário suíço Stoneweg vai investir 100 milhões de euros em ‘dark stores’ da plataforma de entregas ao domicílio Glovo. Em causa estão espaços que funcionam como centros de distribuição para negócios online – que estão a crescer em tempos de pandemia da Covid-19 –, uma espécie de armazéns localizados nos centros das cidades que visam agilizar os processos logísticos e baixar os tempos de entrega dos produtos de supermercado e outros artigos de consumo. Em Lisboa a empresa já tem este tipo de espaços, mas deverá passar a ter também no Porto.

Notícia sobre:

Entregas em casa: apps não podem cobrar mais de 20% aos restaurantes nem aumentar taxas

Por causa do novo confinameto geral, os restaurantes só poderão funcionar em regime de take away ou entrega ao domicílio. O Governo decidiu, por isso, limitar as taxas e comissões cobradas pelas plataformas intermediárias (como a Uber Eats ou a Glovo) no setor da restauração e similares durante este período. Segundo as novas regras, estas apps não podem cobrar aos restaurantes comissões superiores a 20% nem aumentar as taxas de entrega.

Notícia sobre:

A “moda” dos smartphones – 7,2 milhões de portugueses usam-no como telemóvel principal

A “moda” dos smartphones veio para ficar. Em julho de 2020 havia em Portugal 7,2 milhões de pessoas a afirmar que o smartphone era o telemóvel que utilizavam com maior frequência, o que representa 84,2% dos residentes no continente com pelo menos 15 anos. Esta é uma das conclusões do estudo TGI da Marktest, que revela que o número de utilizadores triplicou em oito anos.

Notícia sobre:

TikTok no top cinco das redes sociais mais conhecidas dos portugueses

O Facebook é a rede social mais conhecida dos portugueses, sendo seguida de perto pelo Instagram – 99,6% contra 87,4% de notoriedade expontânea. O top cinco do ranking fica completo por Twitter, WhatsApp e TikTok, por esta ordem, sendo que a aplicação (app) chinesa de produção de vídeos curtos musicais e de dança entra este ano na lista. Em causa está o estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais”, lançado pela Marktest.

Notícia sobre:

Portugueses cada vez mais fãs das aplicações grátis para telemóvel

O número de portugueses que descarregaram aplicações grátis para telemóvel triplicou em seis anos. Em causa estão dados que constam no estudo TGI, da Marktest, que concluem que, em julho deste ano, mais de 4,1 milhões de pessoas tinham descarregado aplicações grátis para telemóvel nos últimos 12 meses, o equivalente a 48,4% dos residentes no continente com pelo menos 15 anos.

Notícia sobre:

Táxis, trotinetas e bicicletas juntos numa só ‘app’ de TVDE? Sim, a Free Now

Chama-se Free Now e é uma aplicação (‘app’) de mobilidade que integra em Portugal, a partir desta quarta-feira (3 de junho de 2020), serviços de TVDE – transporte em veículos ligeiros de passageiros descaracterizados que migram da plataforma Kapten, táxis, trotinetes e bicicletas elétricas numa só plataforma.

Notícia sobre:

As aplicações de videochamadas mais populares na Europa em tempos de pandemia são...

A pandemia do novo coronavírus levou a que muitas empresas – e respetivos trabalhadores – usassem e abusassem das novas tecnologias. As videochamadas são, por esta altura, o “melhor amigo” de muitas pessoas, quer por motivos profissionais quer pessoais. Quais serão, então, as aplicações (apps) de videochamadas mais populares na Europa? O WhatsApp lidera a lista, sendo também a app mais usada em Portugal.

Notícia sobre:

E se o telemóvel avisar que estás perto do Covid-19? Apple e Google juntam-se nesta missão

A Apple e o Google anunciaram recentemente uma parceria para ajudar governos e autoridades de saúde a monitorizar a propagação da pandemia do novo coronavírus, bem como alertar os utilizadores interessados quando estão próximos de alguém infetado com o Covid-19. Uma iniciativa que pode não te pernas para andar em Portugal, já que a medida pode ser inconstitucional.

Notícia sobre: