Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Dicas para anunciantes: os 3 truques infalíveis da Google

Pratama on Unsplash
Pratama on Unsplash
Autor: Redação

A Google eliminou mais de 2 mil milhões de maus anúncios ao longo de 2018 - a maioria violou, por alguma razão, as políticas da empresa. Para evitar as “más publicidades”, conteúdos de baixa qualidade e desinformação, a tecnológica decidiu partilhar com as marcas algumas dicas para que estas possam ser bem-sucedidas.

A gigante decidiu atacar diretamente a fonte dos anúncios, o equivalente à eliminação de seis milhões de maus anúncios por dia no ano passao. A revista Marketeer reuniu a trilogia de dicas da Colation for Better Ads para escapar à “tesoura” da Google:

1. Atenção aos maus formatos

Um estudo da Coalition for Better Ads concluiu que metade dos utilizadores não voltaria a visitar ou partilhar uma página que tivesse um anúncio pop-up. Os anúncios em vídeo que reproduzem o som automaticamente também são tidos como fonte de irritação. Websites com anúncios fixos que dificultam a leitura também não agradam.

Os anúncios animados intermitentes ou que fazem “scroll over” em toda a página também serão de evitar.

2. O mau pode ser transformado em bom

Há boas notícias para os maus formatos, uma vez que também eles podem ser transformados em “bons”. De acordo com Coalition for Better Ads, os anúncios estreitos exibidos no lado direito da página em computadores ou pequenos anúncios fixos na parte superior do ecrã do telemóvel funcionam.

Converter os formatos mais irritantes (como pop-ups) noutros menos intrusivos (como anúncios em ecrã inteiro) pode ser outra boa solução.

3. Verificar se anúncio funciona

A gigante tecnológica disponibiliza aos anunciantes um relatório de experiência de anúncio que permite perceber o que está a funcionar ou não. A ferramenta identifica os anúncios que poderão não estar a cumprir os standards e oferece a possibilidade de remoção ou substituição dos mesmos.