Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Emprego na construção sobe 1,6% no primeiro trimestre – é o valor mais alto desde 2013

The Milon/Unsplash
The Milon/Unsplash
Autor: Redação

Após um decréscimo anual de 0,2% em 2018, o número de trabalhadores do setor da construção voltou a crescer no primeiro trimestre de 2019 face ao período homólogo. Em causa está um aumento de 1,6%, para os 308,7 mil trabalhadores, revelou a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP). “Desde 2013 que o número de trabalhadores da construção no trimestre inicial do ano não era tão elevado”, revela a entidade, em comunicado.

Segundo a FEPICOP, o número de trabalhadores aumentou cerca de 5 mil, o que representou 6,5% do acréscimo do emprego total da economia (que cresceu 1,5% nesse período, em termos homólogos).

“No que concerne ao desemprego oriundo da construção, a evolução foi igualmente positiva, com o número de desempregados do setor inscritos nos centros de emprego a diminuir 26,3% em março, correspondendo a menos 8.907 desempregados que os registados no mesmo mês de 2018”, conclui a FEPICOP.

Também o consumo de cimento disparou, tendo crescido 20% em termos homólogos até abril, “ultrapassando o milhão de toneladas consumidas nos quatro primeiros meses do ano, o que não se verificava desde 2012”. 

As licenças de construção evoluíram de forma muito positiva, com 5.887 novos fogos a serem licenciados até março, o que traduz um crescimento homólogo de 28%. E no mercado das obras públicas, o valor das obras lançadas a concurso cresceu 77% até abril, em termos homólogos.

“Estes sinais de recuperação da atividade da construção revelam-se mais animadores que a evolução apurada para a globalidade da economia, a qual, segundo a estimativa rápida das contas trimestrais do INE, terá crescido, em volume, 1,8% no primeiro trimestre do ano”, refere a FEPICOP, que prevê, para 2019, “um crescimento real de 4% da produção do setor da construção, uma evolução mais intensa que a estimada para 2018 (+3,5%)”.